Mostrando postagens com marcador maternidade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador maternidade. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Adoção: Um relato de coração para vocês.


Olá,

Este post saiu lá do fundo do coração e vamos falar de um assunto lindo: ADOÇÃO. Depois que escrevi sobre minha gravidez sendo portadora de trombofilia aqui no blog. Recebi muitos relatos de gravidez interrompida e só quem passou ou quem leva uma gravidez de risco sabe a dor disso tudo. Lá em casa acreditamos que tudo tem um propósito, mesmo com sucesso na nossa gravidez, a adoção é sempre um assunto em pauta. Então, resolvi trazer uma luz para as mãezinhas que me escrevem.

filhos do coração

Adotar sempre foi uma vontade do meu coração, mesmo antes de saber da minha condição, e o Ed, desde que começamos a namorar, sempre demonstrou a mesma vontade e o mesmo coração aberto. Vou confidenciar uma particularidade muito especial com vocês: Quando era mais nova, tive um sonho em que olhava uma menininha numa banheira brincando com a água, tinha cachinhos molhados e o sorriso dela era tão lindo, que as gotinhas que caiam das pontas dos cachinhos faziam festa junto com ela! Era uma alegria contagiante, dava vontade de congelar aquele instante! Logo, apareceu um ser iluminado e me disse: "Está vendo aquela menina alí, ela vai precisar muito de você, você vai encontra-la quando for a hora" E assim terminou o sonho, acordei extasiada, certa de que não era qualquer sonho. Assim eu acredito, que uma hora eu vou encontrar aquela menininha, seja ela ou ele, seja ela neném ou grandinha, seja de cachinhos, crespinho ou lisinho, seja de qualquer cor. Eu vou encontra-lá, ou melhor, nós vamos encontra-la, eu, Ed e Benzinho. E adoção pode ser que seja o caminho, mas eu não tenho pressa, nem coração ansioso, porque sei que ela vai chegar e vou poder apresenta-la aqui para vocês.

Assim, trouxe um relato de adoção da minha família, uma adoção que foi tão natural, que até nos esquecemos que ela aconteceu.

Esse é o relato do Lucas, MEU PRIMO. Chegou para nós, uma bolotinha branca com bochechas vermelhas e se tornou um homem de bem, caráter maravilhoso, um bom amigo, um bom filho, um bom namorado, um ótimo profissional e nos enche de orgulho a cada dia. Ele nasceu do coração da Tia Neide e do Tio Chico e vai contar um pouquinho como ele se sente em relação a isso:


"Bom dia, boa tarde ou boa noite para quem lê.

É com muito orgulho e satisfação, que me apresento como Lucas de ANDRADE ARAUJO.
Essa semana recebi um convite de uma prima, que eu nem preciso falar que eu amo muito, pois ela já sabe, para falar sobre a minha história de vida.

Como algumas já sabem, eu sou adotado. E as vezes me perguntam, “ah, como é?”, “como você se sente?”, “você tem vontade de conhecer seus pais biológicos?”, muitas dessas perguntas serão respondidas ao longo dessa mensagem.

Algumas pessoas do meu convívio, que ficavam sabendo depois de anos, até me perguntavam, “porque nunca falou disso antes?”, e eu até brinco dizendo: "Uai, vou chegar pra uma pessoa que acabei de conhecer e falar, prazer meu nome é Lucas e eu sou adotado." KkkkkkNão é bem assim, tão fácil. Algumas pessoas do meu convívio, creio eu, não sabem até hoje, e outros que já sabem, as vezes até esquecem, justamente por ver o quanto amo minha família, o quanto eles me amam e o quanto somos parecidos. Mas vamos lá, abaixo contarei um pouco da minha história:

Nasci em junho de 1993, e por razões que eu não sei explicar minha mãe biológica me deixou na maternidade para adoção. Aí, vocês se perguntam, “você sente raiva?”, “se sente triste?”, e  a resposta para ambas é não. Eu não tenho como julgar uma pessoa que eu não conheci, e acredito que tudo na vida tem um propósito, e no caso, eu ganhei a melhor família que Deus poderia me dar.

Descobri que eu era adotado lá pelos meus 12 anos, não lembro ao certo. Quando descobri, vários pensamentos me perturbaram, mas em nenhum momento, pensei em deixar minha família. Eu quis sim, procurar minha família biológica, mas com o tempo, o crescimento e amadurecimento, percebi que minha mãe, foi aquela que sempre esteve ao meu lado e que meu pai sempre foi aquele que me apoiou. E hoje eu digo, no sentido mais literal da palavra, Pai e Mãe é quem cria, é quem dá amor, dá valor, dá carinho, te mostra o caminho para você mesmo decidir o que é certo e errado, e caso errar, eles ainda estarão lá pra te apoiar de qualquer forma.

Hoje eu sou muito grato por toda a família que tenho, incluindo, pai, mãe, tios e tias, primos e primas e minhas avós, meu avôs eu não tive o prazer de conhecer, mas sou grato a eles também, por terem educado meus pais e de alguma forma terem passado sua experiência pra mim, mesmo que indiretamente.

A afinidade que eu tenho hoje com minha família, é coisa fora do comum, como toda família, temos altos e baixos, mas isso não tem nada a ver com o fato de ser adotado ou não, são apenas coisas da vida, que qualquer um passa. As vezes me emociono, ao pensar em tudo que passei com eles, e por tudo ainda que terei de passar, pois foram eles, que me ensinaram a crescer, e a caminhar com minhas próprias pernas, para que um dia eu fosse dono do meu futuro.

E hoje, mais do que nunca, apenas quero ser o exemplo de filho que eles me criaram para ser. Um filho que corre atrás, que busca suas conquistas, um filho que teve como exemplo uma mãe batalhadora e trabalhadora, que as vezes se esgota para me ajudar, mas que nunca reclama por isso. E um exemplo de pai, que apesar de todas as dificuldades, nunca deixou de estar presente. Exemplos de pais que nunca me deixaram faltar nada, e quando digo nada, não me refiro a bens materiais, e sim sentimentos, sentimentos bons, de alegria, calmaria, tranquilidade, aquele sentimento de que, quando eu precisar eles estarão ali pra ser meu porto seguro.

Enfim, dito isso, gostaria de agradecer a oportunidade de contar parte da minha história e me colocar a disposição para qualquer dúvida e conselho que eu possa dar para ajudar."


Bom, deixei para falar que ele é lindo agora, porque depois de ler esse texto, vocês podem concordar comigo sem ver uma foto dele, né?

filhos do coração
Lucas de Andrade Araújo

E Lucas, quero te dizer em nome de toda a nossa família, que nós quem agradecemos você ter nos escolhido, agradecemos ter o privilégio de te amar e sermos amados por você. De termos "aquela coisa de outro mundo". Obrigada por nos ensinar tanto, obrigada por experimentar essa forma de amor maravilhosa. Obrigada por me inspirar. E eu, não poderia deixar de colocar aqui, mais algumas umas palavras tão importantes para você:

Namorada Thay, Tio Chico, Tia Neide e Lucas


"Olá, eu sou a Neide, a mãe  do Lucas.

Quando eu e meu marido decidimos  adotar  uma criança  ficamos um bom tempo amadurecendo a ideia.  Até  que chegou o Lucas. No momento que eu peguei  ele nos braços  pela primeira vez, ele me deu um sorriso e eu disse: muito prazer, eu sou  sua mãe  e você  é  meu filho! Começou  ali, a minha  maternidade. 


Nosso DNA  e nossa GENÉTICA  é  o amor, o carinho, a amizade, a cumplicidade, o cuidado. Ontem eu e meu marido ensinamos e orientamos. Hoje somos nós que aprendemos, a cada dia que passa, um pouco mais com ele. Um homem responsável, amado, amigo.


Amamos nosso filho  e temos orgulho  dele. Vibramos com suas vitorias, apoiamos seus projeto e  agradecemos  a DEUS  o filho que ele nos deu. NOSSO FILHO. NOSSA VIDA."


Bom, mamães e papais este post foi para lembrar que um filho sempre é gerado no coração e nada mais importa. Quando se fala em adotar, qualquer pergunta ou dificuldade a resposta sempre será só uma: AMOR. Se o sonho não puder nascer da barriguinha, ele pode nascer do coração. Se um sonho não for possível, a gente reinventa ele, muda o meio, dança conforme as circunstâncias, mas o que a gente não pode, é desistir!

Adoção é ato mais lindo e nobre que existe. Abra seu coração para o AMOR, como essa família, que se tornou a minha inspiração. São palavras de uma mãe que teve uma gravidez difícil, cheia de medos e que talvez, um segundo  filho vindo da barriguinha não seja mais uma opção, talvez ela gere, agora, pelo coração.



Um grande beijo,

Lalá


Tem uma história de adoção para compartilhar? Conte para nós!






terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Os Filhos Crescem!


Parece tão óbvio dizer que os filhos crescem, mas por um bom tempo este fato não é tão óbvio na nossa mente de mãe. Ficamos acostumadas com seres pequenos e dependentes.

Quando estão em nosso ventre, impera um verbo possessivo em nossa cabeça. Estão ali!  Basta cuidar de nós mesmas e estamos cuidando deles. São tão nossos! E parece que será assim para o resto da vida. 

Nascem e nos tornamos a juíza. Batemos o martelo para as decisões importantes, porque, afinal, são tão dependentes de nós. Olhamos para aquele pequeno tamanho de necessidade, de desconhecimento do mundo, de inexperiência, e pensamos que obviamente será assim a vida inteira, com maior ou menor grau, mas continuará assim, tão dependente da gente. 


quarta-feira, 1 de novembro de 2017

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Carta de uma mãe para Deus



Querido Deus,


“Eu me lembro de cada dia que orei pelas coisas que tenho hoje”. Fecho meus olhos e consigo lembrar precisamente de cada oração antes dormir, em que eu pedia para viver mais, para ter mais da vida. Quantas vezes pensei: Não é possível que é só isso, tem que ter mais! Tem que ir além! Não queria viver de forma rasa e morna, queria que a vida me desafiasse. Eu pedia insistentemente mais, e Você? Com toda sabedoria divina, ME FEZ MÃE. 

Sabe, as coisas estão bem legais por aqui, eu já nem me lembro mais de como eu era, nem me lembro mais de como é pensar só em mim. Foi transformador! Hoje posso vislumbrar Seu amor por todos nós. Deus! Que amor é esse? De onde vem? Que força é essa? Chega a sufocar! Estou certa de que quando uma mulher se torna mãe, Você congela o tempo e a recolhe para um recall. Ela recebe vários upgrades, coloca nela um coração novo feito de pão de ló, um pouco mais de doçura, energia auto sustentável, dois compartimentos a mais de paciência, pozinho de amor para dores de joelho ralado e de coração, capaz de causar borboletas na barriga! São tantos novos adereços que no final das contas só a aparência é a mesma, ou nem ela!

Há tempos que eu quero parar para Te escrever, assim: tranquilinha, sentada de perna de índio com as costas na parede gelada, mas sabe como é né? O dia aqui precisa ter 48 horas! Deixa eu te contar: Ben está lindão! Engatinha a 200km por hora, minhas mãos precisariam se multiplicar para dar conta de tanta levadeza, não é muito fã de dormir não, fora isso é bonzinho demais e nem é chorão, tem os dois olhinhos de jabuticaba mais lindos do mundo! Ah!E o sorriso? GIGANTE! Em todo tempo ele sorri, que garotinho bem humorado e iluminado! Eu conto cada segundinho do dia para estar com ele!

Juro que tem dia que eu acho que não vou dar conta de tanta coisa: é ser mãe, é ser esposa, é trabalhar fora, é casa em ordem, é almoço do outro dia, é renovar os estoques de papinhas e é me ajeitar para não parecer uma zumbi louca e surtada, andando pelas ruas! E Você deve olhar aí de cima, balançar a cabeça e dizer: Ela , como sempre, atrapalhada! E como mágica, bastam algumas poucas horas de sono, estou novinha em folha! Já acordo sabendo que tem Sua mãozinha ali e que vai dar tudo certo! Como sempre dá!

Deus, queria mesmo era poder  te dar um beijão estalado no rosto e te agradecer, porque eu queria mais da vida e do mundo, mas não foi o mundo que mudou para mim, e sim eu que mudei para o mundo. Hoje eu tenho olhos de compaixão para tudo e todos ao meu redor, julgo menos, cobro menos, cobro menos até de mim, as coisas se minimizaram e problema tem que ser grande demais para tirar minha paz. Obrigada por ter me tornado tudo que eu precisava ser, obrigada por ter trazido calma à minha alma, não tem vazio mais, não tem superfície mais, agora é tudo profundo. Hoje eu tenho as respostas dos meus por quês. Obrigada por ter me dado um coração de mãe! E me ajude nessa missão de guiar nosso filho pelo caminho do bem, assim como fez com minha mãe.

Sei que mães são só instrumentos, que somos tão pequenininhas perto da Sua imensidão, que estes serezinhos crescem aqui dentro , mas não são nossos, não são criados para viver dentro da nossa caixinha, eles têm uma missão a cumprir muito maior, só precisamos ensinar o vôo, essa é a função das mães. Sei também que ser mãe faz o coração doer e doerá inúmeras vezes, mas faz parte do aprendizado. Deus, nem nos meus maiores sonhos imaginei ser tão feliz e tão completa.  Que louco é viver sem estar no centro da minha vida e não sentir falta de nada! Te pergunto novamente: que amor é esse?

Espero que um dia meu filho seja transformado pelo mesmo amor que me transformou, um amor que fez de mim uma pessoa melhor. Valeu, Deus! Hoje eu sei que nenhuma oração é em vão e que o Seu tempo é sempre o certo.

Sei que não precisaria escrever sequer uma palavra, que já sabe de tudo, mas é só para não perder aquele nosso velho hábito!

Até mais,
de uma mãe imensamente grata pelo Seu amor.


carta para Deus


terça-feira, 18 de outubro de 2016

Relato de uma gravidez com trombofilia

Já que o outubro rosa é voltado para a saúde da mulher, vamos falar de trombofilia? Já ouviu falar? Eu não, até eu descobrir ser portadora dessa condição. Sabia que ela pode ser causa de abortos recorrentes sem explicação? Pode haver descolamento prematuro de placenta? Que mulheres portadoras não podem tomar anticoncepcional que contenha estrógeno na sua formulação? Por exemplo, eu, sempre tomei a medicação errada, mesmo sendo com indicação médica.

trombofilia
Nós três ( quinto mês )

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Nesta semana tem SimpoMaes!

Chegou!!!Estamos na semana que se inicia o 1º Simpósio de Soluções e Desafios Maternos.

"O SIMPOMÃES será  realizado do dia 18  a 24 de Maio de 2016.



Serão  7 dias de muito conhecimento!
O 1º Simpósio de Soluções a Desafios Maternos será um evento totalmente ONLINE e GRATUITO. Os maiores especialistas em Educação, Desenvolvimento Infantil e Saúde da Criança reunidos para ajudar você a solucionar os desafios maternos do dia a dia."

Fonte: http://www.simpomaes.com.br/


Tem tanta gente bacana que será um orgulho participar ao lado de especialistas em tantos assuntos trazendo para vocês o que aprendi em minha rotina materna aliada ao conhecimento pedagógico, para a construção de ambientes estimuladores.
A Helô também participará e trará para vocês uma palestra encantadora e motivacional para o empreendedorismo materno.
Nós formamos a dupla da pedagoga e contadora que empreendem após a maternidade. E se não bastasse, temos a pretensão de estimular outras mães a fazer o mesmo sem medo ou cobranças. Entendemos o universo materno sem menosprezar as necessidades de mães e filhos.
Em nosso blog tentamos trazer colaboradoras que enriquecem o universo das mães com olhares distintos e opiniões diversas que nos mostram o quão infinito é o mundo materno e suas verdades. Aprendemos muito juntas!
Após um ano e alguns meses de muito trabalho e aprendizado, o SimpoMaes vem como uma oportunidade de gravar para vocês sobre assuntos que bombaram por aqui com uma riqueza de detalhes incrível!
Temos muito a agradecer à Nádia Fonseca pelo convite e iniciativa brilhante.
Você pode conferir todas as informações sobre o SimpoMaes aqui, quando entrevistamos a Nádia.
Corram para fazer suas inscrições!

www.simpomaes.com.br


Beijos



Aline Caldas Viterbo




quarta-feira, 23 de março de 2016

Vem aí o SimpoMães: 1º Simpósio de Soluções a Desafios Maternos do Brasil !

Entrevistamos a Nádia Fonseca, fundadora do SimpoMães, e trouxemos para vocês os detalhes do que será este simpósio online, gratuito e voltado para os desafios do mundo materno. Você terá a sorte de participar então, não fique de fora!


O que é o SimpoMães?
SimpoMães é um Simpósio online de 7 dias, que acontecerá entre o dia 18 a 24 de Maio de 2016, onde serão transmitidas diversas palestras sobre os mais variados temas das áreas de Educação, Desenvolvimento Infantil e Saúde da Criança. . As palestras serão exibidas no dia e horário especificado de acordo com agenda pré-estabelecida que ainda está sendo montada. O acesso as palestras online será gratuito e a audiência será infinitamente superior do que um evento presencial, pois este modelo de evento traz uma facilidade muito grande aos participantes

Porque do SimpoMães?
Sempre acreditei que através do conhecimento é possível mudar o mundo! Eu acredito firmemente que cada mãe tem como objetivo fazer o melhor que consegue para que seu filho tenha a melhor educação, que ele se torne mais consciente, comprometido, seguro e possa construir a sua história de sucesso. E acredito também que toda mãe para ser mais confiante, feliz e libertar-se da tão famosa “culpa”, precisa de informação, pois assim ficará mais fácil enfrentar os diversos desafios que devem ser vencidos no dia a dia. Sendo eu, mãe, pedagoga e psicopedagoga, venho a muito pensando como poderia ajudar outras mães e foi assim que nasceu O SimpoMães.
O que podemos esperar para ver no SimpoMães?
Os temas estão bem variados e já podemos adiantar alguns:
  • Orientação sobre dentição e diversos esclarecimentos sobre consultas ao dentista;

  • Relacionamento marido e mulher após a maternidade/paternidade;
  • Crises e avanços;
  • Sexualidade nas crianças;
  • Educação no mundo cibernético;
  • Alimentação saudável e estímulos para criança;
  • A importância da presença dos pais nos primeiros anos da vida escolar;
  • Um ambiente estimulador para seu pequeno;
  • Estimulação de bebes no útero e na primeira infância;
  • Limite;
  • Casamento;
  • O que os pais devem procurar na hora de escolher uma escola para seus filhos;
  • Crianças que passam tempo integral na escola;
  • Empreendedorismo materno;
  • Coaching materno infantil.

Como saber o horário, dia e tema de cada palestra?
Se inscreva em nosso site aqui e acompanhe os emails até a data. Outra dica para não perder nenhuma palestra é seguir nossa página do facebook SimpoMães, onde faremos toda a divulgação.
Eu e a Helô participaremos com assuntos muito interessantes que bombaram por aqui!
Fique de olho!
www.simpomaes.com.br
Beijos



Aline Caldas Viterbo




quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Eu acredito na Criação com Apego

Acho triste que a sociedade seja tão ligada as regras sem respeitar a individualidade quando o assunto é cuidar de um bebê. Preocupações com uma independência precoce estão cada vez mais presentes e podem comprometer toda a troca de amor deliciosa entre pais e bebês.

Eu sou uma mãe que:
Pego minha filha no colo e dou atenção quando ela chora
Adormeço com ela e tenho a cama compartilhada.
Amamentei por livre demanda exclusivamente até os 6 meses e ainda hoje quando a Cecília pede o "mama de sobremesa" ou durante o dia junto com outras refeições, não recuso.

Sobre o desenvolvimento da minha filha? Perfeito! Sem qualquer atraso, insegurança ou apego excessivo. Estimulo-a de acordo com sua evolução individual e "cobro"! Como? Se ela já entende, porque não fazer? Ela já guarda as coisas no lugar quando peço, claro que a sua maneira, pois está com 1 ano e 2 meses. É extremamente insistente, quer as coisas para ontem! Tento conversar, mudar de assunto, distrair caso não possa atendê-la, mas estou ali: conversando, cantando e as vezes dando uma de doida.



Para refletir, resolvi trazer alguns trechos do livro Bésame Mucho – Como Criar Seus Filhos com Amor, escrito pelo pediatra Carlos González , que foram publicados pela revista Crescer:

“O proibido parece ser a parte mais agradável da maternidade: ninar o bebê no colo, cantar para ele e desfrutar da sua companhia. Talvez seja por isso que criar os filhos se afigure tão difícil para algumas mães. Todos estes tabus e preconceitos fazem com que as crianças chorem e também não deixam os pais mais felizes.”

“O bebê que chora quer a mãe. Não a quer pela comida, nem pela roupa, nem pelo calor, nem pelos brinquedos que comprará mais tarde, nem pela escola particular onde vai matriculá-la, nem pelo dinheiro que deixará como herança. (...) Ninguém negaria comida a uma criança que chora com fome; ninguém deixaria de abrigar uma criança que chora com frio. Deixaria chorar uma criança que o faz porque necessita de carinho?”

“Devemos dar toda a atenção possível aos nossos filhos. Nunca será demais. Não se pode provocar qualquer ‘trauma psicológico’ por sorrir muito a uma criança ou por dizer muitas vezes ‘gu-gu’.”

“Um sorriso de vez em quando, uma carícia ocasional, uma palavra, mesmo que dita de longe, podem ajudá-lo a se tranquilizar nos momentos em que não podemos dar nossa atenção total. Sempre será melhor do que seguir o conselho tão gasto de ‘não permita que ele o aborreça, deixe-o chorar até que se canse’.”


Leia, se informe e escute o pediatra, mas nunca deixe de confiar em sua intuição. Repeite sua forma de enxergar a vida, as relações familiares e lembre-se: um filho não é um bicho de sete cabeças e é sua responsabilidade.

Beijos


Aline Caldas Viterbo


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

3 coisas que devemos aprender com as crianças.

Acho que depois que nos tornamos pais nossos corações amolecem de uma maneira que conseguimos sentir. Nos tornamos pessoas melhores, mas precisamos caminhar muito nessa busca para a reforma íntima. E neste dia (12),  resolvi escrever sobre o que as crianças podem nos ensinar:


quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Doce Infância

Outubro está aí, correndo entre nossas poucas horas, trançando entre nossas pernas na tentativa de nos derrubar, não para machucar, mas para nos fazer rir e brincar, no chão, na chuva, no mar. Como quando crianças.

Sim! Mês, semana, dia das crianças.

Gosto da época sim! 

Não é pela data em si, nem pela lógica capitalista que nos incentiva a comprar presentes e mais presentes para os pequenos, mas por termos um tempinho do nosso ano para lembrarmos de um momento da vida do ser humano carregado de pureza, inocência, imaginação e amor: a infância.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Dia dos professores com dica de professor

Oi pessoal!
O mês de outubro chegou e, com ele, chegou uma dupla comemoração para mim: meu aniversário, no dia 9, e o dia do professor, no dia 15. Parabéns pra mim!!!
Pensando no dia do professor, lembrei-me de um assunto que já queria tratar aqui há algum tempo: leitura. Para mim, que estou formando no fim do ano no curso de letras, nada melhor do que comemorar escrevendo um texto sobre um tema de que tanto gosto!


terça-feira, 6 de outubro de 2015

Oficina Criativa - Redescobrindo o Brincar

Alô mamães!

O pessoal do Ciranda de Roda em parceria com  o Buffet Mashmallow irá viabilizar um curso voltado para o desenvolvimento lúdico das babás e das mães nas atividades com as crianças!
Adoramos a ideia e trouxemos para vocês!




Beijos

                                                              
                                                                Aline Caldas Viterbo

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Repost: Lavando as roupinhas do bebê!


Esse é um repost do Blog Noiva Sortuda, onde iniciamos a coluna Mamãe Sortuda antes de torná-la esse blog que AMAMOS! 


Mamãe Sortuda: Lavando as roupinhas do bebê!



Olá Mamães e futuras mamães sortudas!

A nossa geração está acostuma com as facilidades dos produtos para limparmos a casa e lavarmos nossas roupas. Eis que chega um bebê! Precisamos tomar muito cuidado com o que vamos usar para lavar e preparar o enxoval do nosso pequeno, por isso resolvi fazer um passo a passo sem dispensar a nossa querida máquina de lavar!

Vamos começar:

1- Prepare a Máquina de lavar.

Você pode utilizar a máquina, mas antes de começar o processo de lavar as roupinhas da Cecília, optei por uma higienização da máquina com água sanitária e sabão. Coloquei para encher no máximo, no caso da minha máquina é indicado no "volume alto", o sabão no lugar dele - nas caixinhas de divisão -,  e a água sanitária na máquina onde a água ia cair (não coloquei nos potinhos de divisão de alvejante ou amaciante, para não correr risco de manchar as roupas que iria lavar depois). Coloquei na lavagem rápida de 20 minutos e enxaguei uma vez quando acabou de bater.

2- Lave todo o enxoval do bebê antes dele nascer com sabão de coco.

O sabão em pó, alvejantes e amaciantes que usamos no nosso dia-a-dia tem uma concentração de perfume, ácido e outros componentes que podem causar alergias ou irritações na pele do bebê. O sabão de coco em pó tem um perfume muito suave e uma concentração baixa de ácido, o que dificulta essas irritações. Usei o sabão em pó de coco da Mon Bijou e aprovei o cheirinho, já ouvi dizer que alguns não tem o cheirinho muito bom. ps: vi que existe o líquido também de outras marcas, mas não testei.

Caso você precise usar um alvejante para tirar manchas de peças herdadas de outros bebês, capriche na lavagem após o uso do produto e no enxague! Não deixe resíduos.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Quarto da Cecília 3: Espelho e Barra

Pra quem acompanha o nosso blog, não é novidade posts que contam sobre o quarto montessoriano da Cecília. Iniciei contam sobre minha pesquisa e definições do que ficou para mim sobre O que é o Quarto Montessoriano. Após resolvi pintar uma Casinha e contar para vocês sobre a escolha do tapete e rodízio de brinquedos.

Hoje vou trazer mais dois elementos que ficam em uma mesma parede: O espelho e a barra!

A barra auxiliou muito no desenvolvimento motor da Cecília, antes de andar ela já se apoiava na barra para ficar em pé. pegar objetos que eu pendurava e andar com apoio em marcha lateral. Depois que coloquei o espelho virou festa e o agachamento era constante! Sua diversão era ver a "imagem" do espelho acompanhando seu movimento de abaixar e levantar.
Essa "barra para bebês" não é nada mais nada menos do que uma barra para pendurar cortina! 


quarta-feira, 22 de julho de 2015

Teste da Linguinha - O seu bebê já fez?

No dia 20 de Junho do ano de 2014, foi sancionada a Lei 13.002, pela Presidente da República, que se faz obrigatório a aplicação do Protocolo de Avaliação do Frênulo Lingual em Bebês (Teste da Linguinha) em todos os bebês nascidos nas dependências dos hospitais e maternidades do Brasil.

Nem todos os hospitais realizam o teste e muitos bebês acabam indo para casa com alguma alteração que pode dificultar a amamentação, causando o desmame precoce.
O Teste da Linguinha tem como objetivo avaliar se o frênulo lingual restrita os movimentos da língua do recém nascido. Uma alteração do frênulo lingual pode acarretar dificuldades para o bebê sugar, engolir, mastigar e futuramente para falar.
O Teste da Linguinha é de realização rápida e indolor para o bebê. Ele pode ser realizado em todos os bebês de 0 a 6 meses de vida, sem contraindicação.
O profissional habilitado para a realização do teste deve verificar se a língua do bebê está presa pelo frênulo lingual e também observar o bebê chorando e sugando por meio da sucção não nutritiva e sucção nutritiva.
A AMMACare Consultoria está disponível para tirar suas dúvidas sobre o teste!
Solicite os nossos serviços e a realização do Teste da Linguinha em seu bebê: (31) 9469-5657


Beijos



Raíssa Costa
Consultora em Amamentação
AMMACare

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Melhor ou pior: Mãe que não trabalha

Sabe o café? Pesquisas apontam que é uma excelente bebida para 1001 coisas, após uma semana novas pesquisas apontam os seus malefícios para outras 1001.  Assim é o mundo das mães, cheio de "benefícios e malefícios" para uma infinidade de situações e o pior, mães se dividindo em categorias para se julgarem "Melhores ou Piores".



sexta-feira, 3 de julho de 2015

O que é Quarto Montessoriano?

Quem já ouvi falar em quarto montessoriano? Essa ideia surgiu a partir do Método Montessori criado pela educadora e pediatra italiana Maria Montessori que, em síntese, pretende estimular a criatividade e autonomia da criança em uma busca direta e pessoal do aprendizado.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Introdução Alimentar: Ninguém me disse que seria difícil!

Fiz uma opção: amamentação exclusiva até os 6 meses. Meu contato com estudantes de medicina, uma grande amiga nutricionista na área infantil e a segunda pediatra que levei a Cecília me fizeram acreditar muito em todos os benefícios dessa escolha a partir de estudos recentes. E vou ser bem sincera, eu quase, QUASE me arrependi!
Quando iniciei a alimentação da Cecília com banana amassada, mamão, suco de laranja e maçã, ela provava, fazia careta, cuspia e logo depois queria mamar. Comecei a ler, ler e ler e estava lá: não force, não recuse amamentar e deixe o bebê em seu tempo aceitar os novos alimentos. 
Agora eu te pergunto: Ansiedade de mãe deixa? Estava quase desistindo e escutando os pitacos que todo mundo gosta de dar: chega de peito, deixa chorar de fome que aí vai comer papinha, e por aí vai.