quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Aniversário Sítio do Picapau amarelo - Anna fez 4


Na escola da Anna teve uma apresentação da música da Emília e ela não pode ir (era dama de honra de um casamento no mesmo dia). Então, ela pediu uma festinha para dançar a música para um público (mas na hora de dançar morreu de vergonha, rs). Porém, a festinha foi linda e ela super se divertiu!


segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Muffin de abobrinha

Ei gente!

Me conta ai, como é comer legumes na casa de vocês?

Eu quando pequena, morava durante a semana com minha vó, pois era mais perto da escola e minha mãe, enfermeira na rede pública, trabalhava o dia todo e por uma opção ficava esses dias na casa da vó Geralda. E aos finais de semana, ia para casa.

Todos os dias, na casa da minha vó, tinha arroz, feijão, carne, legume e uma salada de verdura.

E eu sempre fui muito ruim pra comer alguns legumes! SEMPRE!
E acabei passando isso para Laura e Pedro involuntariamente, de não cozinhar todos os legumes. Desde quando eles começaram a comer papinha eu nao colocava alguns legumes,  por saber que eu é que nao gostava.

Mas depois de uma ida ao nutricionista e um belo puxão de orelha, tive que deixar os meus "achismos" de lado e começar a cozinhar melhor! Comecei a pesquisar receitas práticas e que ficassem gostosas no final! Com aquele gostinho de quero comer só mais um.

Foi ai que me lembrei, que quando mais nova minha avó, fazia um bolinho que eu chamava de "bolinho de tudo". Minhas avó tem um moedor antigo, que ela moía alguns legumes com carne moída e logo em seguida fazia os bolinhos e os fritava! Huuuum, consegui sentir o gostinho aqui na boca! rs

Moedor antigo que minha avó usava para fazer bolinho de tudo (imagem da internet)

Então resolvi criar meu próprio bolinho, só que de uma maneira que eu pudesse assá-lo e isso fez um sucesso e tanto lá em casa, que Laura e Pedro ate pedem para levar de lanche para a escola.

Segue a receita:

3 ovos
1 xícara de farinha de trigo (pode ser a integral também)
1 abobrinha
1 cenoura
1 cebola

1 xícara de mussarela ralada
1/2 xícara de provolone
Sal a gosto (costumo colocar chimichurri para temperar)


bolinho de abobrinha

Muffin de abobrinha


Modo de fazer: 

 

Coloco tudo em uma vasilha, mexo com um colher grande atéa massa ficar homogênea, depois distribuo em forminhas de silicone. 
Essa quantidade que faço, distribuo em 12 forminhas. Em forno pré aquecido,os muffins ficam prontos com 30 minutos ou até dourarem.

E sendo assim, os legumes ficam escondinhos e super gostosos! 

E você? tem alguma receita infaĺivel?

Me conta aqui!

Um beijo, Carol

 


quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Rio de Janeiro: Um final de semana na Cidade Maravilhosa!

Confesso pra vocês que eu tinha medo de viajar pro Rio de Janeiro, afinal, as notícias que temos de lá são de apavorar qualquer pessoa mesmo. É muito triste saber que uma das cidades mais lindas do mundo também é uma das mais violentas. E realmente a cidade é MARAVILHOSA! Vou contar um pouquinho sobre a experiência que tivemos nessa viagem que não foi programada, mas que foi uma das melhores que já fizemos!

rio de janeiro
Mirante Dona Marta


Minha irmã está morando no Rio, veio nos visitar na semana anterior à semana das crianças e me chamou para ir com ela pra lá. Achamos passagem de ônibus com um preço muito bom, falei com meu marido e resolvemos viajar. Chegamos no Rio na sexta de manhã e viemos embora na segunda a noite. Foi um final de semana intenso e inesquecível!
Na sexta a tarde visitamos o Barra World. É o primeiro Shopping Temático do Mundo que reproduz a arquitetura e os principais monumentos de vários países.











E claro que como bons mineiros, saímos do Shopping no finalzinho da tarde e corremos pra praia. Estávamos loucos para ver o mar! A escolhida foi a praia do Recreio, que era a mais próxima do Barra World.


No sábado visitamos a praia da Reserva e depois ficamos em casa. Descansamos para passear bastante no dia seguinte!
No domingo saímos bem cedo e a primeira parada foi no Parque Lage! É um parque público da cidade, localizado aos pés do morro do Corcovado, na rua Jardim Botânico. Ir até ele é embarcar em uma viagem ao passado, na época do Brasil Colônia e descobrir muitos encantos em cada um dos seus atrativos. Além da arquitetura maravilhosa, o parque possui uma natureza abundante e tivemos o privilégio de ficar pertinho dos macacos-prego (vários nas árvores do parque).







Saímos do Parque Lage e fomos para o Trem do Corcovado. De lá acontecem as saídas das vans e do trem para o Cristo. Optamos por ir de Van, pois o tempo de espera do trem era maior e conseguimos um valor melhor na van. 
Na subida, paramos no Mirante Dona Marta. Um lugar lindo, com uma vista deslumbrante!


Depois do Mirante, continuamos a subida para o lugar mais esperado: o Corcovado, o Cristo Redentor. Palavras não são suficientes para descrever a emoção, a paisagem, a vista. Tudo é maravilhoso! Assim que chegamos aos pés do Cristo, as pessoas que estavam em uma missa realizada numa pequena capela que tem lá, começaram a cantar Noites Traiçoeiras, uma música que gosto muito e que marcou demais a minha vida! As lágrimas rolaram com força!


Pela foto vocês conseguem imaginar o poder do Sol lá no Rio de Janeiro né? Muito protetor e água o dia inteiro pra dar conta dos passeios!
Saímos do Cristo e fomos para a Estação do Bonde Santa Tereza. Para fazer esses trajetos, utilizamos Uber. Nos atendeu muito bem. Tanto os valores quanto a qualidade do atendimento.
O passeio de Bonde é muito gostoso! Eu nunca tinha entrado num bonde antes. As meninas também curtiram muito. Nós subimos até a ultima parada e na volta descemos no Largo dos Guimarães, no Santa Tereza, cheio de charme e atrações que trazem calma e uma sensação de fazer parte da história do Rio de Janeiro. No mesmo largo você encontra bares, restaurantes, um cineminha e lojas de artesanato, além de muitas casas com uma peculiar arquitetura do Rio Antigo. LINDO! Neste dia, tivemos a sorte de participar de uma feira orgânica, com várias barraquinhas com comidinhas deliciosas e música ao vivo. Só fomos embora porque anoiteceu. A vontade era de ficar muito mais!






Na segunda-feira a noite viríamos embora. Então, na parte da manhã resolvemos conhecer mais uma praia pra nos despedir. Minha irmã nos indicou a Prainha. Se você pensa que as praias da Zona Sul do Rio são lindas é porque ainda não conhece a Prainha! Numa região mais afastada, cercada pela Parque Natural Municipal da Prainha, não há acesso por meio de transporte público, somente carro. A praia fica próxima do bairro Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, e é uma ótima opção para fugir daquele clima de cidade grande e se sentir bem no meio da natureza! Também é ótima para surfistas, vimos muitos por lá, inclusive o ator Klebber Toledo! Deixou a praia mais linda ainda! rsrsrsr.
No final da praia tem um restaurante com uma vista deslumbrante, o Mirante da Prainha. Ótima estrutura para crianças, comida deliciosa, preço justo e excelente atendimento! Almoçamos por lá curtindo a vista!
Como a acesso à praia é mais difícil, é importante chegar cedo porque o estacionamento é bastante limitado e quando lota, eles fecham o acesso.






 
Depois dessa experiência incrível no Rio de Janeiro, o medo foi embora e eu pretendo voltar muitas e muitas vezes, com esperança de que em breve a violência e as tristezas que dominam parte dessa cidade sejam minimizadas e quem sabe extintas, para que a paz e o amor prevaleçam nessa cidade maravilhosa!
Abraços!!!





terça-feira, 5 de novembro de 2019

Enxoval de bebê: 10 motivos para se ter um sling


De todos os investimentos do meu enxoval, com certeza o sling está na lista dos itens mais essenciais e queridinhos! Se eu contar que uso praticamente todos os dias vocês acreditam? Acho tão engraçado que sempre que saio de sling com a Sol atraio olhares bem curiosos. Para muitos ainda é uma novidade, mas aqui em casa uso desde quando a Nina era bebezinha, e agora Sol ganhou de herança e também tenho novos modelos! Acreditando muito nos benefícios do sling resolvi fazer uma lista de benefícios, de acordo com as minhas vivências pessoais!

1) Modelos diferentes: Existem os slings de argola, ring slings, e os wrap slings, que são slings com um tecido para amarração. Uso os dois em momentos distintos.

Gosto de usar o wrap sling quando preciso andar longas distâncias. Ele é bem confortável para o bebê e macio. É o meu favorito no requisito conforto! Tenho dois modelos, um de algodão e um de dry fit. O de dry fit é ótimo para dias quentes pois permite uma ótima troca de calor com o ambiente.

Gosto de usar o wrap sling quando preciso de agilidade. Não é preciso fazer amarrações, então é bem prático. Quando vou em locais público no qual fica difícil ficar amarrando o wrap sling acabo usando o ring sling. Prefiro!

sling, ring sling, wrap sling, sling de argola

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Você é o seu padrão


Eu nunca tive um corpo “padrão”. Mas, afinal, o que é padrão? Na nossa sociedade, o padrão valorizado é o corpo magérrimo, cintura fina, seios fartos e empinados (o que é isso mesmo depois da amamentação? Rsrs), pernão bundão...enfim, muitas exigências para um corpo só, né não?



terça-feira, 29 de outubro de 2019

Floresça Mãe - Administração e finanças pessoais: Metas para o Ano Novo!

O Floresça Mãe é um projeto criado pelo Blog Mamãe Sortuda que visa a capacitação de mães empreendedoras, conexão, networking e união do grupo, através de um circuito de palestras.
No dia 16 de novembro, das 14 as 17 horas teremos um encontro com Rebeca Nevares, CEO da Ella´s Investimentos.
Nesse encontro falaremos sobre como criar o mindset para investir e conquistar seus sonhos do ano novo. Abordaremos os conceitos de finanças comportamentais e dicas práticas para atingir os objetivos de forma sustentável!




Rebeca Nevares é formada em comércio exterior, MBA de finanças com ênfase em gestão de investimentos pela FGV e especialista em investimentos pela Anbima. Sólida experiência com mais de 13 anos no mercado financeiro trabalhando em bancos e corretoras como gestora da equipe de assessoria de alta renda. Atuou também como porta voz, dando palestras e entrevistas nos principais canais de comunicação do Brasil, falando sobre liderança feminina no mercado financeiro. Com toda sua experiência, foi convidada para liderar a área de Treinamento e desenvolvimento de um grande banco digital. Apaixonada por pessoas e pela causa da mulher, resolveu empreender em um propósito maior. Hoje, CEO do Ella’s Investimentos que tem como missão trazer diversidade para o mercado financeiro. Mãe de uma menina, a Mariah, quer deixar um legado para as futuras gerações!



segunda-feira, 21 de outubro de 2019

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Autocuidado




Autocuidado: Ou seja, buscar as necessidades que o seu corpo e a sua mente exigem de você! 
Faz tempo que a minha mente e o meu corpo pedem por mudanças na minha rotina. Eu só no sabia como e nem exatamente quais...

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Aniversário da Marina- Piquenique no Quintal


Nesse ano, assim como nos três últimos, Nina escolheu 5.987 temas para a festinha de aniversário. Hahaha!  Mas nas últimas negociações chegamos a um ótimo acordo: a festinha seria na casa da Vovô Edson, especificamente no quintal dele, e que haveria piquenique! Yes! Mamãe ficou super feliz!!!!

5 anos dessa pequena grande menina, e com os amiguinhos ela quis comemorar! Esse aniversário trouxe novas emoções e vivências para ela, e também para mim! Em todos os outros ela amou programar cada detalhezinho e na hora mesmo do aniversário ficou praticamente o tempo inteiro agarrada comigo. E neste ano foi tudo diferente. Curtiu o planejamento e também o aniversário em intensidade! Brincou de verdade com todos os amiguinhos e ficou soltinha, soltinha!

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

terça-feira, 10 de setembro de 2019

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Floresça Mãe - Florescendo com propósito e ação



O Floresça Mãe é um projeto criado pelo Blog Mamãe Sortuda que visa a capacitação de mães empreendedoras, conexão, networking e união do grupo, através de um circuito de palestras. Esses encontros trazem assuntos ligados ao empreendedorismo, autoconhecimento, maternidade, feminino, bem estar e família.

Dia 21/09, das 14 às 17 teremos um encontro com a Psicóloga e Master Coach Cláudia Furtado (Orienta Coach), no espaço Pra Crescer.

A proposta do encontro será fazer uma reflexão dos resultados alcançados, pontos positivos e negativos. Trabalharemos a "roda da vida", para planejar a vida pessoal e profissional, relações e prioridades, com dicas para aumentar os resultados. 
Objetivo: Promover autoconhecimento, mais energia para seguir em frente, com visão de futuro e planejamento.

"Sou mãe do Rafael e da Beatriz. Psicóloga formada pela PUC Minas, Pós-graduada em Orientação Profissional e Carreira pela Universidade Estácio de Sá, Master Coach formada pela Organização Condor Blanco - no Chile. Com mais de 16 anos de experiência em gerência de projetos nas áreas de orientação profissional e de carreira, qualificação, acompanhamento e inserção de jovens em risco social e econômico. Atualmente estou empreendendo em uma Startup com criação de uma plataforma de jogos das profissões para apoiar os jovens na escolha da carreira; e atendendo no meu espaço Orienta Coach."  - Cláudia Furtado

As inscrições já estão abertas, com direito a lanche! Se precisar levar seu(s) filho(s), entre em contato conosco!



segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Ressignificando uma perda gestacional após 7 anos!

Há 7 anos eu perdi meu segundo bebê. Era janeiro de 2012 quando descobri que estava grávida. Minha filha mais velha, a Mariana, estava quase completando 5 anos e ficou muito feliz com a notícia. Após 6 semanas, veio o sangramento. Depois de idas e vindas a médicos e hospitais, HCG não compatível com aborto e muita preocupação, descobrimos a gravidez ectópica. O bebê estava se desenvolvendo fora do útero, em minha trompa direita. Precisei fazer uma cirurgia de emergência para interromper a gestação, porque a trompa poderia romper a qualquer momento e gerar uma grave hemorragia interna. 

gravidez ectópica, constelação familiar

Após a cirurgia eu acordei com a sensação de um vazio enorme. Além de ter perdido o bebê, recebi a notícia de que foi preciso retirar a trompa e as possibilidades de engravidar novamente diminuiriam em 50%, e eu teria 20% de chances de uma nova gravidez ectópica. Em um momento como aquele, receber essa notícia sobre o meu futuro foi assustador. Toda essa situação desencadeou uma forte depressão e síndrome do pânico. Após 1 ano de tratamento eu me curei, fiquei livre dos medicamentos e no ano seguinte eu engravidei novamente.
A gestação e o nascimento da Helena foram momentos de grande superação. Ela nos trouxe uma imensa alegria, inundou minha vida com sua luz, mas ainda existia um vazio em mim que eu não conseguia preencher.

perda gestacional, constelação familiar
Imagem: obra do artista tcheco Martin Hudáček  - “Memorial a Criança Não Nascida”.

Durante um tempo eu consegui conviver com esse sentimento. De certa forma, eu o ignorei. Foi quando em 2018 eu iniciei uma jornada de autoconhecimento. Fui presenteada com o curso de Reiki, comecei a praticar Yoga e meditação, me aproximei ainda mais da minha religião (sou Espírita), voltei a estudar e iniciei minha especialização em Acupuntura. Nesse processo, aquele sentimento adormecido começou a incomodar. Eu senti que precisava ressignificar aquela perda. E um dia, rolando o feed do Instagram, vi uma postagem do Andrei Moreira (médico, homeopata, que também trabalha com Constelação Familiar) sobre os "filhos que não seguiram vivendo":

"Os filhos que não seguiram vivendo (abortados espontâneos ou não, natimortos, falecidos) são tão filhos quanto aqueles que seguem vivos. Eles também pertencem e não podem ser excluídos. Quando o são - o que acontece pela dor da perda - trata-se de uma dupla morte: não tiveram direito à vida e não lhes é dado o direito de pertencer à família. Isto fere o pertencimento, lei sistêmica natural, fazendo com que os excluídos sejam reinseridos no sistema familiar através de uma representação ou sintoma. No coração, os pais e irmãos se conectam a estes filhos e irmãos de uma forma especial, com um amor profundo e sempre presente, frequentemente ignorado e que sustenta movimentos em direção à morte (ou ao menos), para junto deles, por amor cego. Olhar para este amor - e sobretudo para o amor dos filhos que não viveram pelos pais e irmãos, o que é possível se fazer sozinho ou em um workshop vivencial de constelação familiar, por exemplo - respeitando-lhes o destino e dando-lhes um lugar de amor no coração, pode promover uma forte conexão com a vida e com a alegria de viver. Sempre sugiro às mães - ou aos pais - sentir se era um menino ou menina e colocar algo em si que o(a) lembre, como um anel ou um pingente. Isso ajuda a reforçar a inclusão e o lugar de amor no coração, bem como o movimento de vida."

perda gestacional, gravidez ectopica


Essa postagem me tocou profundamente. E eu busquei me conectar a esse sentimento. 
Através de orações, lembranças, intuições, meditações, eu senti que era um menino (na época já tinha sido revelado pra mim também) e realmente nos conectamos. E então eu sonhei. E no sonho eu conheci o seu nome: Francisco! E agora, o meu bebê tem nome e está representado neste berloque. Do meu coração, ele nunca saiu!

Constelação familiar, berloques, gravidez ectopica

gravidez ectopica, perda gestacional