Mostrando postagens com marcador mãe. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador mãe. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

terça-feira, 16 de maio de 2017

Mãe Solteira? Você quis Dizer Mãe Solo!

Quem não acha linda uma família de papai, mamãe e filhinhos? Até descobrir que por trás desse padrão existem N problemas e pessoas que precisam "manter a aparência" para não virarem motivo de escândalo entre familiares, vizinhos, sociedade! 

Existem famílias "tradicionais" que são lindas! É verdade! Mas existem famílias que fogem desse padrão e que são lindas também. Não é porque a família segue uma outra "configuração" que ela é infeliz. Temos que admitir! Seguir o padrão tradicionalmente aceito não significa, necessariamente, ter/ser uma família feliz ou que não tem lá seus graves problemas. 

Família é uma dupla, um trio, um quarteto, um grupinho que tem grau de parentesco e/ou são ligados por laços afetivos. Então, no quadradinho chamado lar, cabem inúmeras formas de amor que podem ter ligações muito mais fortes do que as tradicionais. 

Hoje vou falar sobre a família de "mãe solo". O que é? Vou explicar!

Mãe Solo - Thaiz Leão

quarta-feira, 8 de março de 2017

Mulher e Mãe (e outras coisas mais)


Dia Internacional da Mulher: 08 de março... É preciso um dia para a mulher? 

O dia 08 de março foi consagrado após diversas lutas e reivindicações das mulheres, por melhores condições de trabalho, por igualdade de direitos trabalhistas, por direitos sociais, por direitos políticos e por uma série de outras questões que se estendem até os dias de hoje. Lutas e reivindicações que fortificaram na segunda metade do século XIX. Não ouso dizer que iniciaram nesta época, porque eu duvido que desde que o mundo é mundo não tenha existido uma mulher que lutou (e pode ser que tenha sido jogada na fogueira por isso) para ter direitos básicos. 

E os movimentos, comumente, foram reprimidos por violência. Ainda hoje são! Em vários lugares do mundo, onde nem mesmo é consensual o direito da luta feminina. Mesmo onde é, a repressão transita por uma diversidade de formas. 

É tudo controlado! 

A roupa, o modo de sentar, a profissão, os hábitos de consumo, o corpo... Para não falar do assédio, da agressão verbal e física, das "brincadeiras" machistas.

Se ser mãe muda? Costumo achar que piora.

Ser mãe nesta sociedade significa que você é estranha por aproveitar a vida de qualquer forma que não seja com a maternidade. Que você não pode gostar de carnaval. Que é melhor você andar de burca. Que você é problemática por não ter um relacionamento amoroso bem sucedido. Se for viúva: matou o marido. Se for divorciada: ele não aguentou a chatice. Se for solteira: ixi! Nunca mais vai se relacionar com ninguém. Se você trabalha fora: prefere a vida profissional do que os filhos, terceiriza a maternidade. Se você não trabalha, é empreendedora, trabalha em casa, tem "mais tempo perto da família": é rica! É a do lar, que o marido banca. Se você estuda: como consegue?! Como se mãe não tivesse o direito de estudar. Ser mãe de estado civil solteira, que trabalha fora e estuda... Definição social de "olhe com reprovação".

Já somos julgadas o tempo todo. Não precisamos de mais críticas. 

Mensagens 10

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Toda Mãe Precisa de Um Tempo

Não quero lhe falar, meu grande amor, das coisas que aprendi nos discos.
Quero lhe contar como eu vivi e tudo o que aconteceu comigo. 
Viver é melhor que sonhar. 


sexta-feira, 24 de abril de 2015

O que é a Dança Materna?

Já falamos sobre a Dança Materna aqui e em nossas redes sociais.
Eu e a Helô nos encantamos por esse trabalho pioneiro no Brasil!



Quer entender mais sobre a Dança Materna? Fiz umas perguntinhas para a fisioterapeuta Sofia Menz que fez o curso da Dança Materna e trouxe para Resende esse trabalho lindo da bailarina Tatiana Tardioli. Vamos lá:

 

Aline- O que é a Dança Materna?

Sofia- A Dança Materna é um trabalho, pioneiro no Brasil, desenvolvido pela Bailarina Tatiana Tardioli.
Seu projeto iniciou em 7 de agosto de 2008, sendo aos poucos composto de três linhas:
Dança Materna para Gestantes
Dança Materna para Mães e Bebês de Colo e Engatinhantes
Dança Materna para Mães e Bebês Andantes



Tem o objetivo de designar atenção integral à Mãe e ao Bebê, desde a gestação até os três anos de vida.
Resende pode desfrutar da Dança Materna para Mães e Bebês de Colo e Engatinhantes, sendo que até o final do ano às Gestantes poderão desfrutar desse belo projeto.





Aline- O que devemos analisar quando procurarmos uma atividade para fazer com nossos bebês? 

Sofia- Quando for escolher uma atividade com o seu bebê, é importante observar:
O ambiente que será realizada essa atividade quanto ao som, a luminosidade, a segurança do local.
Lembrar que o bebê é um indivíduo e não um acessório de peso. 
Levar em consideração a idade desse bebê, o carregamento usado e as necessidades pessoais dele.
O nível de conhecimento dos responsáveis envolvido na atividade sobre o universo dessa Mãe e Bebê.





Aline- Quais são os benefícios da Dança Materna para o bebê? 

Sofia- Traz o conforto do balanço na dança, a proximidade com a mãe, o relaxamento, a interação com outros bebês, desfruta de um ambiente onde a amamentação é incentivada.

 



Aline- Quais são os benefícios da Dança Materna para a mamãe? 

Sofia- Retorno à vida social depois do parto, a otimização da redução do peso, reeducação corporal quanto refletir sobre o carregamento e a posição de amamentar. O mútuo-conhecimento entre mãe e filho. A troca entre mulheres que vivenciam o mesmo momento.


 
 

Aline- Pais podem fazer a Dança Materna? 

Sofia-Os Pais são sempre bem-vindos para fazer parte dessa vivência.


 


Aline- Quando o bebê pode iniciar a Dança Materna? 

Sofia- O projeto da Dança Materna é indicado para mães com bebês a partir de 1 mês para as que tiveram parto fisiológico (vulgo Normal) e 1 mês e meio para as que tiveram cesariana.




A Tatiana Tardioli forma professoras no método que vem se espalhando pelo Brasil. Para saber mais sobre as próximas turmas de formação visite a página Dança Materna ou o site www.dancamaterna.com.br .




Gostaram? Dá uma olhadinha lá na página Dança Materna. Quem sabe não tem uma professora aí, bem pertinho de você! Realiza outra atividade com seu bebê? Recomenda? Conta pra gente!


Aline Caldas Viterbo
contato@mamaesortuda.com