Mostrando postagens com marcador maternidade real. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador maternidade real. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 15 de maio de 2018

A chegada da segunda filha....



Quando dizem que “Nenhuma gestação é igual a outra”, é verdade mesmo! E nenhum parto é igual ao outro também.
Se você teve um parto difícil, não se prenda a isso como empecilho para ter outro. Você pode se surpreender!
Se você teve um bom parto, vá na fé que outros também serão, mas se prepare para tudo!

Minhas 24 Horas, gestação, gravidez, cuidados na gravidez, dicas para segunda gravidez, segunda gravidez, Nasceu uma Mãe, maternidade real,

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Adoção: Um relato de coração para vocês.


Olá,

Este post saiu lá do fundo do coração e vamos falar de um assunto lindo: ADOÇÃO. Depois que escrevi sobre minha gravidez sendo portadora de trombofilia aqui no blog. Recebi muitos relatos de gravidez interrompida e só quem passou ou quem leva uma gravidez de risco sabe a dor disso tudo. Lá em casa acreditamos que tudo tem um propósito, mesmo com sucesso na nossa gravidez, a adoção é sempre um assunto em pauta. Então, resolvi trazer uma luz para as mãezinhas que me escrevem.

filhos do coração

Adotar sempre foi uma vontade do meu coração, mesmo antes de saber da minha condição, e o Ed, desde que começamos a namorar, sempre demonstrou a mesma vontade e o mesmo coração aberto. Vou confidenciar uma particularidade muito especial com vocês: Quando era mais nova, tive um sonho em que olhava uma menininha numa banheira brincando com a água, tinha cachinhos molhados e o sorriso dela era tão lindo, que as gotinhas que caiam das pontas dos cachinhos faziam festa junto com ela! Era uma alegria contagiante, dava vontade de congelar aquele instante! Logo, apareceu um ser iluminado e me disse: "Está vendo aquela menina alí, ela vai precisar muito de você, você vai encontra-la quando for a hora" E assim terminou o sonho, acordei extasiada, certa de que não era qualquer sonho. Assim eu acredito, que uma hora eu vou encontrar aquela menininha, seja ela ou ele, seja ela neném ou grandinha, seja de cachinhos, crespinho ou lisinho, seja de qualquer cor. Eu vou encontra-lá, ou melhor, nós vamos encontra-la, eu, Ed e Benzinho. E adoção pode ser que seja o caminho, mas eu não tenho pressa, nem coração ansioso, porque sei que ela vai chegar e vou poder apresenta-la aqui para vocês.

Assim, trouxe um relato de adoção da minha família, uma adoção que foi tão natural, que até nos esquecemos que ela aconteceu.

Esse é o relato do Lucas, MEU PRIMO. Chegou para nós, uma bolotinha branca com bochechas vermelhas e se tornou um homem de bem, caráter maravilhoso, um bom amigo, um bom filho, um bom namorado, um ótimo profissional e nos enche de orgulho a cada dia. Ele nasceu do coração da Tia Neide e do Tio Chico e vai contar um pouquinho como ele se sente em relação a isso:


"Bom dia, boa tarde ou boa noite para quem lê.

É com muito orgulho e satisfação, que me apresento como Lucas de ANDRADE ARAUJO.
Essa semana recebi um convite de uma prima, que eu nem preciso falar que eu amo muito, pois ela já sabe, para falar sobre a minha história de vida.

Como algumas já sabem, eu sou adotado. E as vezes me perguntam, “ah, como é?”, “como você se sente?”, “você tem vontade de conhecer seus pais biológicos?”, muitas dessas perguntas serão respondidas ao longo dessa mensagem.

Algumas pessoas do meu convívio, que ficavam sabendo depois de anos, até me perguntavam, “porque nunca falou disso antes?”, e eu até brinco dizendo: "Uai, vou chegar pra uma pessoa que acabei de conhecer e falar, prazer meu nome é Lucas e eu sou adotado." KkkkkkNão é bem assim, tão fácil. Algumas pessoas do meu convívio, creio eu, não sabem até hoje, e outros que já sabem, as vezes até esquecem, justamente por ver o quanto amo minha família, o quanto eles me amam e o quanto somos parecidos. Mas vamos lá, abaixo contarei um pouco da minha história:

Nasci em junho de 1993, e por razões que eu não sei explicar minha mãe biológica me deixou na maternidade para adoção. Aí, vocês se perguntam, “você sente raiva?”, “se sente triste?”, e  a resposta para ambas é não. Eu não tenho como julgar uma pessoa que eu não conheci, e acredito que tudo na vida tem um propósito, e no caso, eu ganhei a melhor família que Deus poderia me dar.

Descobri que eu era adotado lá pelos meus 12 anos, não lembro ao certo. Quando descobri, vários pensamentos me perturbaram, mas em nenhum momento, pensei em deixar minha família. Eu quis sim, procurar minha família biológica, mas com o tempo, o crescimento e amadurecimento, percebi que minha mãe, foi aquela que sempre esteve ao meu lado e que meu pai sempre foi aquele que me apoiou. E hoje eu digo, no sentido mais literal da palavra, Pai e Mãe é quem cria, é quem dá amor, dá valor, dá carinho, te mostra o caminho para você mesmo decidir o que é certo e errado, e caso errar, eles ainda estarão lá pra te apoiar de qualquer forma.

Hoje eu sou muito grato por toda a família que tenho, incluindo, pai, mãe, tios e tias, primos e primas e minhas avós, meu avôs eu não tive o prazer de conhecer, mas sou grato a eles também, por terem educado meus pais e de alguma forma terem passado sua experiência pra mim, mesmo que indiretamente.

A afinidade que eu tenho hoje com minha família, é coisa fora do comum, como toda família, temos altos e baixos, mas isso não tem nada a ver com o fato de ser adotado ou não, são apenas coisas da vida, que qualquer um passa. As vezes me emociono, ao pensar em tudo que passei com eles, e por tudo ainda que terei de passar, pois foram eles, que me ensinaram a crescer, e a caminhar com minhas próprias pernas, para que um dia eu fosse dono do meu futuro.

E hoje, mais do que nunca, apenas quero ser o exemplo de filho que eles me criaram para ser. Um filho que corre atrás, que busca suas conquistas, um filho que teve como exemplo uma mãe batalhadora e trabalhadora, que as vezes se esgota para me ajudar, mas que nunca reclama por isso. E um exemplo de pai, que apesar de todas as dificuldades, nunca deixou de estar presente. Exemplos de pais que nunca me deixaram faltar nada, e quando digo nada, não me refiro a bens materiais, e sim sentimentos, sentimentos bons, de alegria, calmaria, tranquilidade, aquele sentimento de que, quando eu precisar eles estarão ali pra ser meu porto seguro.

Enfim, dito isso, gostaria de agradecer a oportunidade de contar parte da minha história e me colocar a disposição para qualquer dúvida e conselho que eu possa dar para ajudar."


Bom, deixei para falar que ele é lindo agora, porque depois de ler esse texto, vocês podem concordar comigo sem ver uma foto dele, né?

filhos do coração
Lucas de Andrade Araújo

E Lucas, quero te dizer em nome de toda a nossa família, que nós quem agradecemos você ter nos escolhido, agradecemos ter o privilégio de te amar e sermos amados por você. De termos "aquela coisa de outro mundo". Obrigada por nos ensinar tanto, obrigada por experimentar essa forma de amor maravilhosa. Obrigada por me inspirar. E eu, não poderia deixar de colocar aqui, mais algumas umas palavras tão importantes para você:

Namorada Thay, Tio Chico, Tia Neide e Lucas


"Olá, eu sou a Neide, a mãe  do Lucas.

Quando eu e meu marido decidimos  adotar  uma criança  ficamos um bom tempo amadurecendo a ideia.  Até  que chegou o Lucas. No momento que eu peguei  ele nos braços  pela primeira vez, ele me deu um sorriso e eu disse: muito prazer, eu sou  sua mãe  e você  é  meu filho! Começou  ali, a minha  maternidade. 


Nosso DNA  e nossa GENÉTICA  é  o amor, o carinho, a amizade, a cumplicidade, o cuidado. Ontem eu e meu marido ensinamos e orientamos. Hoje somos nós que aprendemos, a cada dia que passa, um pouco mais com ele. Um homem responsável, amado, amigo.


Amamos nosso filho  e temos orgulho  dele. Vibramos com suas vitorias, apoiamos seus projeto e  agradecemos  a DEUS  o filho que ele nos deu. NOSSO FILHO. NOSSA VIDA."


Bom, mamães e papais este post foi para lembrar que um filho sempre é gerado no coração e nada mais importa. Quando se fala em adotar, qualquer pergunta ou dificuldade a resposta sempre será só uma: AMOR. Se o sonho não puder nascer da barriguinha, ele pode nascer do coração. Se um sonho não for possível, a gente reinventa ele, muda o meio, dança conforme as circunstâncias, mas o que a gente não pode, é desistir!

Adoção é ato mais lindo e nobre que existe. Abra seu coração para o AMOR, como essa família, que se tornou a minha inspiração. São palavras de uma mãe que teve uma gravidez difícil, cheia de medos e que talvez, um segundo  filho vindo da barriguinha não seja mais uma opção, talvez ela gere, agora, pelo coração.



Um grande beijo,

Lalá


Tem uma história de adoção para compartilhar? Conte para nós!






quarta-feira, 9 de agosto de 2017

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Carta de uma mãe para Deus



Querido Deus,


“Eu me lembro de cada dia que orei pelas coisas que tenho hoje”. Fecho meus olhos e consigo lembrar precisamente de cada oração antes dormir, em que eu pedia para viver mais, para ter mais da vida. Quantas vezes pensei: Não é possível que é só isso, tem que ter mais! Tem que ir além! Não queria viver de forma rasa e morna, queria que a vida me desafiasse. Eu pedia insistentemente mais, e Você? Com toda sabedoria divina, ME FEZ MÃE. 

Sabe, as coisas estão bem legais por aqui, eu já nem me lembro mais de como eu era, nem me lembro mais de como é pensar só em mim. Foi transformador! Hoje posso vislumbrar Seu amor por todos nós. Deus! Que amor é esse? De onde vem? Que força é essa? Chega a sufocar! Estou certa de que quando uma mulher se torna mãe, Você congela o tempo e a recolhe para um recall. Ela recebe vários upgrades, coloca nela um coração novo feito de pão de ló, um pouco mais de doçura, energia auto sustentável, dois compartimentos a mais de paciência, pozinho de amor para dores de joelho ralado e de coração, capaz de causar borboletas na barriga! São tantos novos adereços que no final das contas só a aparência é a mesma, ou nem ela!

Há tempos que eu quero parar para Te escrever, assim: tranquilinha, sentada de perna de índio com as costas na parede gelada, mas sabe como é né? O dia aqui precisa ter 48 horas! Deixa eu te contar: Ben está lindão! Engatinha a 200km por hora, minhas mãos precisariam se multiplicar para dar conta de tanta levadeza, não é muito fã de dormir não, fora isso é bonzinho demais e nem é chorão, tem os dois olhinhos de jabuticaba mais lindos do mundo! Ah!E o sorriso? GIGANTE! Em todo tempo ele sorri, que garotinho bem humorado e iluminado! Eu conto cada segundinho do dia para estar com ele!

Juro que tem dia que eu acho que não vou dar conta de tanta coisa: é ser mãe, é ser esposa, é trabalhar fora, é casa em ordem, é almoço do outro dia, é renovar os estoques de papinhas e é me ajeitar para não parecer uma zumbi louca e surtada, andando pelas ruas! E Você deve olhar aí de cima, balançar a cabeça e dizer: Ela , como sempre, atrapalhada! E como mágica, bastam algumas poucas horas de sono, estou novinha em folha! Já acordo sabendo que tem Sua mãozinha ali e que vai dar tudo certo! Como sempre dá!

Deus, queria mesmo era poder  te dar um beijão estalado no rosto e te agradecer, porque eu queria mais da vida e do mundo, mas não foi o mundo que mudou para mim, e sim eu que mudei para o mundo. Hoje eu tenho olhos de compaixão para tudo e todos ao meu redor, julgo menos, cobro menos, cobro menos até de mim, as coisas se minimizaram e problema tem que ser grande demais para tirar minha paz. Obrigada por ter me tornado tudo que eu precisava ser, obrigada por ter trazido calma à minha alma, não tem vazio mais, não tem superfície mais, agora é tudo profundo. Hoje eu tenho as respostas dos meus por quês. Obrigada por ter me dado um coração de mãe! E me ajude nessa missão de guiar nosso filho pelo caminho do bem, assim como fez com minha mãe.

Sei que mães são só instrumentos, que somos tão pequenininhas perto da Sua imensidão, que estes serezinhos crescem aqui dentro , mas não são nossos, não são criados para viver dentro da nossa caixinha, eles têm uma missão a cumprir muito maior, só precisamos ensinar o vôo, essa é a função das mães. Sei também que ser mãe faz o coração doer e doerá inúmeras vezes, mas faz parte do aprendizado. Deus, nem nos meus maiores sonhos imaginei ser tão feliz e tão completa.  Que louco é viver sem estar no centro da minha vida e não sentir falta de nada! Te pergunto novamente: que amor é esse?

Espero que um dia meu filho seja transformado pelo mesmo amor que me transformou, um amor que fez de mim uma pessoa melhor. Valeu, Deus! Hoje eu sei que nenhuma oração é em vão e que o Seu tempo é sempre o certo.

Sei que não precisaria escrever sequer uma palavra, que já sabe de tudo, mas é só para não perder aquele nosso velho hábito!

Até mais,
de uma mãe imensamente grata pelo Seu amor.


carta para Deus