Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta escola. Classificar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta escola. Classificar por data Mostrar todas as postagens

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Como organizar uma festa na escolinha do seu filho


Infelizmente, não existe fórmula mágica para organizar uma festa, muito menos em escolinha, pois as regras variam bastante de escola para escola. Então, neste post, vocês verão dicas que facilitarão a execução de sua festa, mas que devem ser ajustadas para a sua realidade!

Aqui, contei sobre o aniversário que fiz da Bela e a Fera. Acho que valeu muito à pena!!!

aniversário na escola, como organizar festa de aniversário, dicas de festa em escolinha, festa na escolinha, Festinhas, a Bela e a Fera, trolls, festa aniversário simples, aniversário em escolinha, Aniversário Econômico, dica de festa infantil,
Aniversário da filhota

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Trocando os filhos de escola - Escolas Infantis na região leste de BH





Olá, pessoal!


Há muito tempo venho planejando iniciar aqui no blog uma coluna sobre as escolas de BH. Hoje, finalmente, esse plano começa a sair do papel!

Quando a minha licença maternidade estava acabando, comecei a pesquisar alguns berçários onde matricular o Théo. Fiquei muito apreensiva, pois percebi uma defasagem de dados sobre escolas infantis em BH na internet. Muitas escolas não possuem site ou Facebook, e mesmo as opiniões deixadas no Google são bem escassas. O jeito foi selecionar algumas que conhecia de vista e visitá-las.

O Théo atualmente estuda no Batista Baby, que é a escola infantil do Colégio Batista Mineiro. Não tenho absolutamente NADA a reclamar de lá. É uma escola pequena, muita arrumada, bem cuidada, com profissionais muito capacitados e carinhosos com as crianças, atividades de educação física, música, oficinas de pintura, etc. O preço, no entanto... não vou mentir, é salgado. E foi por esse motivo que, com muita dor no coração, decidi procurar uma nova escola para ele. A situação financeira do país é de vulnerabilidade, e decidimos por conta disso tentar diminuir alguns custos (até porque precisamos economizar dinheiro se queremos realizar nossos sonhos e planos).

Os motivos para trocar uma criança de escola são vários: a insatisfação com o ensino, o fato de a criança não se adaptar, o valor das mensalidades... A gente que é mãe (ou pai, ou responsável) fica com o coração apertadinho. Isso é normal em qualquer coisa que a gente faça na vida, no entanto. O importante é visitar as escolas com carinho e atenção, confiar no sexto sentido de mãe e saber que está fazendo a melhor escolha. Sentimento de culpa não vale!

A seguir, vou falar um pouquinho para vocês sobre algumas escolas que visitei na região LESTE de bh. Vou fazer aqui uma resenha bem superficial das escolas que visitei. Se quiserem mais detalhes delas, é só mandar um e-mail para giulia.lage@gmail.com!


1. Batista Baby

Berçário - Maternal

Essa escola tem site

Sou suspeita para falar de lá. É um lugar que o Théo ama, está lá desde os 3 meses e meio. A única questão problemática, para mim, é que o preço está acima do de outras escolas da região.


    Endereço: R. Araxá, 514 - Colégio Batista, Belo Horizonte - MG
    Telefone: (31) 2516-8415



2. Passo a Passo Centro Integrado da Criança

Berçário - Maternal - Pré-escola

Essa escola infantil é uma escola pequenininha, mas muito arrumada e aconchegante. Todos os funcionários receptivos e de bom humor.




    Endereço: Rua Serravite, 64 - Floresta, Belo Horizonte - MG, 31015-220
    Telefone: (31) 3442-8236


3. Trilha do Saber

Maternal - Pré-escola (estão pensando em abrir berçário)

Escola silenciosa, tranquila e pequenininha. 


    Endereço: R. São Mateus, 384 - Sagrada Família, Belo Horizonte - MG, 31035-330
    Telefone:(31) 3466-9117

4. Pedacinho de Gente

Berçário - Maternal - Pré-escola

Escola pequena e atendimento simpático.


Essa escola tem site 


    Endereço: R. João Gualberto Filho, 141 - Sagrada Família, Belo Horizonte - MG, 31030-410
    Telefone:(31) 2515-6414

5. Instituto Pedagógico Dó-Ré-Mí

Maternal - Pré - escola

Essa escola realmente me surpreendeu. É pequenininha, tem uma estrutura muito arrumada e os funcionários são MUITO atenciosos! Fiquei encantada! Pena que só têm turnos tarde ou integral (eu preciso só do turno da manhã)

Essa escola tem site



    Endereço: Rua Cabrobó, 471 - Sagrada Família, Belo Horizonte - MG, 31035-350
    Telefone:(31) 3466-2812

6. Escola Infantil Vovô Honorato

Maternal - Pré-escola

Tenho muitas referências positivas dessa escola. Ela é pequenininha, mas os funcionários são muito atenciosos e as crianças gostam muito de lá!



    Endereço: R. São Lucas, 457 - Sagrada Família, Belo Horizonte - MG, 31030-310
    Telefone:(31) 3467-4582

7. Colégio Santa Maria - Floresta

Maternal - Pré-escola

Essa escola tem site 

Estudei no Santa Maria minha vida inteira e, portanto, sou suspeita para falar. A escola é grande, mas o prédio das crianças é separado (tem até uma entrada independente) e tem aquela carinha de escolinha de bairro. Gostei muito dos funcionários e da estrutura da escola em geral.



Endereço: Rua Jacui, 237 - Floresta, Belo Horizonte - MG, 31110-050
Telefone:(31) 3449-5500


8. Instituto Monteiro Lobato

Berçário - Maternal - Pré-escola

Essa escola tem site 

A escola está aberta há 43 anos e mudou recentemente de endereço. A nova casa tem uma boa estrutura, as crianças parecem felizes e o atendimento da coordenação é bom.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Um olhar diferente para o Ensino Público Infantil - Parte I


Outro dia, vi em uma postagem em um dos muitos grupos de mães que tenho no facebook, perguntando como era o funcionamento das UMEIS. Li comentário por comentário. Vi alguns que falaram que a UMEI não é adequada para as crianças, vi alguns falando que a escola serve só para brincar e MUITOS outros comentários foram a favor da UMEI e de toda a dedicação para com nossos filhos.

Eu sou muito suspeita para falar sobre a escola!!
Desde a primeira vez que vi uma escola, pela grade azul, com meus 16 anos, quando era estagiária da PBH, me peguei apaixonada e tinha certeza que algo de muito legal Belo Horizonte tinha a ganhar.

E assim foi, desde os primeiros meses de vida da minha pequena Laura fiz a inscrição e aguardava de dedo cruzado por uma vaga para ela. A mesma aconteceu com o Pedro, todos os anos eu fiz a inscrição e cruzava meus dedos. Ate que ambos, conseguiram quando completaram seus 3 anos. Antes disse eles estudavam em uma escola particular e ficavam o dia inteiro para que eu fosse trabalhar. E quando a vaga da Laura saiu em 2014 eu fiquei SATISFEITA, MARAVILHADA, ME SENTINDO ECONÔMICA - afinal era uma mensalidade a menos - E COM MEDO!

UMEI

Medo sim, pois a única coisa que escuta das pessoas ao meu redor e das professoras dela era: “ não faça isso, a UMEI só brinca, não ensina, não alfabetiza e bla bla bla... Aquela pulguinha ficou na minha orelha. Contei para André, compartilhei meus medos e agora até angustias eu tinha! E se a Laura não souber ler? E se ela não souber escrever? E se ela não souber o básico para entrar no primeiro ano do ensino fundamental?
Lá estava eu sofrendo por um futuro incerto! Lá estava eu chorando e sendo acalantada pelo André!
Mas eu vi que precisava deixa o rio seguir seu percurso, vi que precisávamos viver um dia de cada vez! E assim fui deixar a Laura em seu primeiro dia de aula.

Quando chegamos na porta da escola, meu coração disparou, meus olhos lacrimejaram, Laura segurou minha mão firme e entramos. A professora já estava na cantina da escola com o restante da turminha, se apresentou e disse de sorriso aberto o quanto éramos bem vindas na escola. Laura olho pra mim, esticou os braços, me abraçou e chorou. E aí eu chorei! Chorei e não queria largar de Laura. Mas era necessário que eu fosse embora. Laura gritava e eu sai correndo e liguei para André.
Esperei ansiosamente os minutos passarem ate as 17:20. 
Como que dói né gente?!

Enfim, chegou a hora de buscar Laura na escola. Fui na porta da sala dela, lá estava ela, sentada em sua cadeira, com mais 3 meninas em sua mesa. Me viu, me abraçou e disse que aquela escola era fofinha! Me contou que suas mais novas amigas se chamavam Letícia, e as gêmeas Larissa e Izabella. Contou mais um tanto de coisa e vi o quanto o meu choro foi meio que atoa. A noite passou e mais um dia veio. Já me fortalecendo e sendo forte para não chorar na frente dela. Chegamos na porta da escola e ela me fala: “ mamãe, pode deixar que vou sozinha. Até depois da aula” . Me deu um beijo, pegou sua pequena mochila e foi. Desceu o morrinho, olhou pra trás e jogou um beijo.

Gente, cadê aquele neném que chorou ontem? Que gritou 'MAMÃÃÃÃÃE'?

Já o Pedro foi tudo muito tranquilo, como ele via a Laura indo para uma escola diferente da dele, sempre teve o sonho de estudar na escola da Laura. E em seu primeiro dia de aula, mal queria que eu levasse ele na porta de sua sala.

Mas nós dois, André e eu sempre fomos MUITO presentes na vida escolar dos meninos. Em todas as reuniões estávamos juntos. Sempre fomos atendidos, fosse pra tirar dúvida, sugerir algo para a escola ou fazer alguma reclamação. Sempre andamos lado a lado com a escola e aos poucos fomos pegando o ritmo da UMEI e entendendo o funcionamento da mesma.

A UMEI tem realmente a metodologia de brincadeiras lúdicas e eles ensinam SIM, ensinam brincando! E tem algo mais saudável que isso? Os meninos nunca tiveram PARA CASA EM EXCESSO! Confira a quantidade de atividades para cada criança abaixo:

QUANTIDADE DE PARA CASA
1º SEMESTRE
2º SEMESTRE
3-4 ANOS
NENHUM PARA CASA
1 PARA CASA
4-5 ANOS
1 PARA CASA
2 PARA CASA
5-6 ANOS
2 PARA CASA
3 PARA CASA

A UMEI tem uma visão de que criança precisa ser criança antes de ter uma vida acadêmica formada! Vejo que muitas escolas particulares já enviam para casa todo dia após a escola. No primeiro instante é lindo, fofo e engraçado. Mas será que realmente é necessário? Aulas extracurriculares,
aula de inglês, natação, espanhol, piano, de canto e por ai vai... e quando é a hora dela ser criança? Precisamos SEMPRE pensar nisso!


Via: Mamãe Tagarela
Sem contar as festas da família, festa junina, feira de cultura que a escola planeja com tanto carinho!

Festa Junina

Festa Junina




Festa Junina

Em 2016 foi o último ano da Laura na UMEI, e em 2017 o último do Pedro (texto parte II em breve!!! E ambos saíram lendo e escrevendo. A UMEi é lúdica. Eles ensinam brincando. Eles tiveram duas professoras MA-RA-VI-LHO-SAS, com uma dedicação fora do comum. A UMEI foi o grande passo dos meus filhos para um futuro que logo estará aí. Digo que a UMEI foi uma página do livro da nossa família, que merece dedicatória! 
Só que gente, não podemos esquecer de que o sucesso dos nosso filhos é um conjunto. Entre escola e família! Sempre fomos presente na vida escolar dos meninos. Em todas as reuniões lá estávamos nós, os dois em meu a 90% de mães na sala. E André  lá, questionando, aplaudindo, chorando com a primeira escrita livre deles, a partir da figura do lado, perguntando qual o próximo projeto da professora. 

Hoje em dia vejo muitos pais culparem SOMENTE  a escola pelo mal desempenho do filho. Mas não é assim... O filho tem que estudar, a família tem que ser presente e a escola acompanhar e ensinar! Porque educação VEM DE CASA!

E aí, que tal conhecer uma UMEI? Não julgar tanto um ensino público? 

Obrigada UMEI São João Batista, por todo seu esforço. 

Meu muito obrigada desde a diretora até a cantineira!

Um beijo bem grande, mamãe de dois,

Carol














segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Adaptação e acolhimento: dica para pais

As férias ainda não acabaram, mas muitos pais  já estão ansiosos  com a volta às aulas.  Muitas crianças mudarão de escola, de professor ou professora ou até mesmo  será a primeira experiência escolar dos pequenos.
Então... como tudo acontecerá? Meu filho ou minha filha irá sofrer? Vai  chorar? Ficará traumatizado? È absolutamente normal  essa ansiedade e/ou insegurança.
Mudar não é fácil para a maioria das pessoas. Muitas vezes não é tarefa fácil sair da zona de conforto,  da proteção da família, mas faz parte  da vida adaptar-se e readaptar-se ás situações diversas. Isso é aprendido e positivo. Se tornará mais fácil ,ou não, dependo da orientação do adulto. Sim, precisamos estar bem emocionalmente para ajudar as crianças nesse processo importante, que às vezes é  difícil , mas não precisa ser doloroso.
Desde 2016 , com a universalização da educação infantil para as crianças de 4/5 e 5/6 anos, é obrigatória, em todo Brasil ,a matricula em estabelecimentos de ensino. Isso quer dizer que se seu filho  fizer  4 anos de idade até 31 de Março de 2017 ,ele deverá frequentar a educação infantil.
Ao longo da história ,a educação infantil tem sido vista cada vez mais como uma etapa importante da escolarização das crianças, mas é importante destacar que o objetivo principal desta é a socialização, as relações sociais, o brincar, a experimentação, etc... O foco não é a alfabetização , mas as experiências sensoriais, artísticas e sociais que farão parte  da rotina dos pequenos.
 O aspecto físico, quantitativo de crianças por adulto, a proposta pedagógica, concepção de criança , os objetivos da escola, autorização de funcionamento, formação dos professores são pontos importantes que os pais devem levar em consideração ao matricular os pequenos em uma instituição de educação.


adaptação e acolhimento volta as aulas dica para pais

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Sonho: Curso de Fotografia



Comprei minha câmera em uma viagem para Orlando em 2013 por amar fotografia. Ter uma máquina profissional de entrada foi uma das melhores coisas que já me aconteceram! Que fotos lindas! Mesmo não tendo técnica alguma, não é que as fotos eram diferenciadas? Com o passar dos clicks percebi como me faltava conhecer a minha máquina e a Helô começou a pesquisar sobre cursos de fotografia em Belo Horizonte para fazermos juntas. Tá bom que a máquina já ajudava e muito, mas as vezes eu queria um fundo borradinho, pegar a paisagem numa certa perspectiva e mesmo que eu me virasse do avesso não dava certo.


Tudo azul (Aline)

quinta-feira, 10 de março de 2016

Lições de Casa

Quem tem filhos na escola sabe como é importante organizar a rotina para as atividades de "para casa". 

Desde cedo os pequenos chegam com seus trabalhos de escola e suas lições de casa e, normalmente, pode ser um verdadeiro sacrifício a hora de pegar os cadernos.  

Certa vez uma mãe disse que não sabia o que fazer para que seu filho fizesse as lições sem que ela tivesse que brigar muito antes. Em uma observação na casa da referida mãe, reparei que a criança, de aproximadamente 10 anos, fazia a lição em uma mesa na sala enquanto a televisão passava um jogo de futebol e o computador estava aberto em páginas de redes sociais. A atividade que levaria cerca de meia hora para ser cumprida estendia-se por horas e com muita discussão entre mãe e filho. 

Meu filho está no infantil 04 e mudou de escola este ano. No infantil 04 tem lição todos os dias e tive uma pequena resistência dele nos primeiros dias, isso porque ele entendeu que a outra escola onde estudava não tinha para casa todos os dias e a escola nova tinha. Na verdade, se ele tivesse permanecido na outra escola ele teria para casa diário da mesma forma, porque a questão não é a escola, mas a turma. Ele estava no infantil 03, onde não tem lição todos os dias, e agora foi para o 04, onde tem. O problema é que ele entendeu que era a escola. Após muita explicação e com as lições diárias ele acabou entendo que faz parte do crescimento. É coisa de menino de 4 anos, como ele costuma dizer.  

terça-feira, 30 de maio de 2017

Julia do Lacre do Bem - Entrevista com a Julia

Julia Macedo poderia ser apenas mais uma aluna dentre os mais de 300 que recebo por ano. E apesar de amá-la tanto quanto todos os outros, Julia despertou em mim (e não seria nada ambicioso dizer que em toda a nossa comunidade escolar também) um sentimento novo: a empatia.

Quando conheci o projeto Lacre do Bem ainda não era professora na escola em que Julia estuda, mas fiz questão de ajudar meu priminho, que na época tinha apenas 7 anos, a juntar todos os lacres possíveis para entregar à Julia, sua colega de escola.

Na ocasião do lançamento do 1º livro da Julia, em que ela conta lindamente a história do projeto, perguntei a ela se poderia nos dar uma entrevista. Ela, é claro, topou na hora.

Fica aqui, então, a entrevista dessa pequena linda. Que força, que maturidade. É de encher o coração de amor (e os olhos de lágrimas).

Preparem-se!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Infantolatria x Maturidade Precoce


Bom, aqui em casa as coisas tão meio loucas e por isto eu não tinha o que escrever para meu post de hoje até este momento... mas ao abrir o Facebook, uma prima linda que amo muito, compartilhou um link de uma matéria muito bacana (Os perigos da infantolatria) e por incrível que pareça, a matéria veio ao encontro do que a pedagoga da escolinha da Lara conversou comigo ontem! Veio ao encontro, na verdade, do oposto ao que ela falou! Eu explico:


www.guiadobebe.com.br

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Festinha de Dia das Mães na escola: Eu não fiquei triste por não ter uma!




Eu não fiquei triste por não ter festinha de Dia das Mães na escola do meu filho. Nunca tive, nem quero ter. João frequenta a escola desde 8 meses de idade e nunca fui convidada para uma comemoração especial para as mães. Nas duas escolas por onde ele já passou aconteceram apenas as comemorações conhecidas como Festa da Família, algo que me agrada bastante e me parece ser bem mais coerente.


Claro que toda mamãe (ou a maioria delas) ama ganhar mimos feitos pelos filhotes para o dia das mães, mesmo que sejam presentes que você nunca vai usar, como por exemplo, um colar de macarrão (rs)! E quando os pequetitos cantam musiquinhas para nós nas festinhas da escola sem nem saber falar direito ainda? Ahhh, a gente baba demais, não é mesmo? Enquanto as crianças cantam segurando corações de papel ou florzinhas nas mãos, as mamães se derretem de tanto chorar na plateia, uma cena linda e emocionante de se ver! Mas... como sou sempre a mãe “problematizadora”, a louca que vê crítica em tudo (!!!), gostaria de explicar aqui o motivo pelo qual não gosto de festa do dia das mães e refletir um pouco sobre essa prática em algumas escolas.


terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Mudando de escola - A primeira semana do Théo


Olá mamães e papais!

Como prometido, hoje voltei para falar um pouquinho pra vocês sobre como foi a primeira semana do Théo na escolinha nova!

Resultado de imagem para primeiro dia de aula
Imagem do Google


Coração de mãe vocês sabem como é, né? Tive uma reunião e saí super cedo de casa, mas fiquei de olho no celular o tempo todo! E perguntei pelo menos mil vezes pro namorido como o Théo estava!

Fiquei com muito medo por pensar que ele, agora maiorzinho, teria mais medo, mais desconfiança, etc. Maaaaaaaas, como em todas as outras coisas nessa vida de mãe, tive uma surpresa: Théo se adaptou muito rapidinho! É claro que ele chorou nos primeiros dias, mas nos dois últimos só ficou com uma pequena insegurança mesmo, e não chorou! Ele tem saído de lá bem feliz (palavras do papai).

Lembro que na segunda, quando me encontrei com ele, perguntei:

- E aí, Théozinho, como foi na escolinha?

Ele, mais que depressa, respondeu:

- Escolinha futebol!!!

(Lá na escolinha dele tem uma quadrinha infantil de futebol, e ele com certeza amoooou isso).


(Olha a carinha de cansado depois do primeiro dia =D )


Pra mim essa resposta foi satisfatória! Ele associou a escola a algo bom, pelo menos inicialmente. Ele está almoçando lá, e chega exausto (o que pra mim e outro bom sinal, de que ele está se exercitando e gastando bastante energia).

Por ser uma escola menor, de bairro, fiquei um pouco mais insegura, pois ele estava vindo de uma escola bem grande. Nessa semana ele ainda ficou sem uniforme (não tinha do tamanho dele quando fui comprar), o que só aumento as minhas preocupações malucas. Mas uma coisa aquietou meu coração: no primeiro dia de aula ele chegou cheio de lembrancinhas da escola, mensagens de início de ano... Tudo uma gracinha!

Agora já chegou a lista de material e a apostila, e já deu pra ver que ele vai fazer muita coisa linda! Eu adooooro trabalho de escola, e eles fazem muitos la na escolinha dele!

Mas não pensem que acabou:

O próximo desafio agora é deixá-lo uma vez por semana na parte da tarde. Vou tentar isso apenas na semana que vem, pois esse carnaval com certeza vai ter uma má influência na adaptação dele, né?


Queria saber de vocês também, gente! Como foi o primeiro dia de escola dos filhotinhos? Dá um aperto no coração, né? Mas temos que deixar tudo nas mãos de Deus, além de confiar naqueles a quem entregamos nossos amores! Tenho certeza que todos nós fizemos as melhores escolhas!

Me contem tudo, em?!

Um beijinho,



G.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Como Ajudar os Filhos com os Estudos

É inevitável! Um dia, a hora de ir para a "escola de menino grande" chega. Tudo muda! Muda muito! 

A sala pode não ser tão colorida como na pré-escola, os deveres de casa ficam cada ano mais complexos e numerosos, os trabalhos, realmente, começam a dar trabalho, aumenta o número de disciplinas, conteúdos e professores (e é um desafio para a criança entender que cada um deles tem seu perfil de educador), as regras são mais rígidas, muita informação nova é apresentada, as provas começam, as etapas, as notas... 

Enfim! É um processo contínuo de crescimento, amadurecimento e adaptação. Engana quem acha que a ansiedade acomete apenas a criança. Os pais/famílias também passam por esse processo de adaptar ao novo. Especialmente nos primeiros anos da vida acadêmica, quando a criança precisa de muita ajuda para ler, escrever, interpretar, executar!

Uma pergunta que sempre fazemos é: como ajudar os filhos com os estudos? 

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

O que observar na hora de escolher o berçário ideal.

Hoje viemos contar para vocês alguns aspectos importantes para a busca do berçário ideal para seu filho. Antes de começarmos, eu gostaria de lembrá-los sobre a importância de procurar as escolas com certa antecedência já que algumas possuem filas de espera e a vagas para berçários são bem requisitadas. Agora que eu vou me mudar de estado, já entrei em contato com três escolas de lá e agendei visita para Dezembro.

Depois do período de licença-maternidade, um dos principais objetivos dos pais é encontrar um lugar especial, acolhedor e de confiança para deixar o filho. Nesse momento, o sentimento de culpa e as dúvidas são muito comuns. Este texto tem o propósito de auxiliar os pais que estão passando por essa fase, trazendo dicas importantes que vão ajudá-los a encontrar o berçário ideal para o seu bebê.
Quando se trata do berçário, é importante esclarecer que os serviços oferecidos nesse local não são os mesmos serviços oferecidos por uma babá. No berçário, os bebês recebem um tratamento diferenciado, que não se limita apenas a dar banho e colocar para dormir. Na escola, os alunos têm aulas especializadas, que auxiliam no seu desenvolvimento.



sexta-feira, 15 de março de 2019

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Volta às aulas sem estresse!

Sair da deliciosa rotina de férias e se deparar com o retorno das aulas, compra de material, ajuste do horário biológico e do horário de escola não é fácil! Mas a organização de cada passo para o retorno às aulas facilita, e muito, este momento.

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Robótica para Crianças - CreateJoy

O mundo tecnológico está aí e é de fácil alcance. Quais olhinhos de criança que não brilham frente à tecnologia? É um desafio estabelecer um equilíbrio entre as ofertas do mundo e os princípios que seguimos na educação dos filhos. 

Uma forma de encarar esse desafio é tornando a tecnologia parceira. Usando a tecnologia do ponto de vista educacional. 


sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

TDAH, SPA ou falta de uma infância livre?


As férias escolares estão chegando ao fim e muitas famílias já estão preocupadas com o desempenho escolar de seus filhos devido a algum histórico complicado de relacionamento entre estudante-escola-família. Outras, ainda nem sabem o que as esperam pela frente, sendo o primeiro momento em que a criança irá ingressar no sistema de ensino formal. O fato é que, é na escola que sintomas do TDAH são observados pela primeira vez na maioria das vezes, causando angústias e dúvidas entre mães e pais. 

Mas, afinal, o que é TDAH? Será que toda criança "agitada" é hiperativa? Como evitar um diagnóstico precoce? Vamos conversar um pouco sobre isso...

TDAH ou Síndrome do Pensamento Acelerado?

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Volta às Aulas e "O Que Vou Ser Quando Crescer"

O que eu vou ser?
Quando eu crescer?
Cantora ou doutora
Advogada ou professora
Ah! Posso ser...
Posso ser cientista, engenheira ou jornalista.
[...]
O que eu vou ser?
Quando eu crescer?
Bombeiro ou esportista
Arquiteto ou economista...



Fevereiro está chegando! É hora das crianças retornarem para a escola.

O que foi aprendido durante esse período de viagens, passeios, festas, atividades e momentos em família? Uma coisa é certa: nossas crianças cresceram (em todos os sentidos) um pouquinho mais.

Quando percebemos que mais um ano letivo vai começar e que nossas crianças vão aprender muitas coisas novas, passar por novos desafios da alfabetização, já ficamos com o coração apertado, pensando se, mais uma vez, vamos dar conta. 

Porque é bem verdade que acompanhar os filhos na escola é como formar pela segunda vez. Reaprendemos o que ficou na nossa infância e absorvemos novos saberes. Claro! O conhecimento está sempre em transformação. 

Meu filho ainda não faz provas na escola, mas vejo algumas amigas e amigos que têm filhos maiores estudado dia e noite ao lado deles para os exames da escola. 

É preciso reorganizar a vida (horários e rotina) para acompanhar os filhos na escola. É um desafio constante! As angústias deles são as nossas. As conquistas deles são as nossas. Até que chega o momento de discutir sobre a profissão. 

É inevitável! Atire a primeira pedra a mãe e o pai que quando seu bebezinho veio ao mundo não pensou de cara "o que será que meu filho vai ser quando crescer?". 


quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Orçamento Familiar em Tempos Difíceis

O mês de outubro foi um mês particularmente difícil aqui em casa. Até setembro ainda estávamos conseguindo equilibrar bem as nossas finanças, apesar de já termos sentido o aumento dos preços dos produtos em geral e das nossas contas mensais, etc. No mês passado, no entanto, começamos a realmente sentir na pele as consequências do momento pelo qual o nosso país está passando.Tivemos que fazer vários ajustes nos nossos costumes familiares para que conseguíssemos chegar ao  fim do mês com saldo positivo no banco (e também para nos prepararmos para a chegada do mês de novembro).

Fiquei pensando no quanto vocês, mamães e papais, também devem estar se desdobrando para lidar com as limitações econômicas que esse período nos impõe, e por isso resolvi escrever um pouquinho aqui sobre como eu e o namorido temos tentado atravessar esse momento difícil. 
Não é nada fácil, vale lembrar. Mas se todos os casais conseguirem se estruturar física, psicológica e emocionalmente para vencer as dificuldades financeiras, o resultado será uma família mais unida, mais feliz e, sobretudo, mais consciente em relação à importância do planejamento familiar.

O que está escrito aqui embaixo são as coisas que nós aqui em casa fizemos para tentar reduzir nosso custo de vida ao máximo, mas sem perder os momentos de lazer de que todos nós tanto precisamos. Não quer dizer que você precisa fazer o mesmo que nós. A minha ideia é apenas que, a partir da minha experiência, você possa montar um plano de ação adequado pra a sua família! =D



quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Carta para Rafael - Novo tratamento, terapia e escola

Bom dia amorzinho,  noite passada você teve febre pela primeira vez sem ser por efeito de vacina, a mamãe ficou bem preocupada, ainda bem que não continuou e não era nada demais, porque é muito chato ficar doente, né? 

A mamãe esqueceu de te contar que foi convidada para a pré estreia do filme Laços da Turma da Mônica e foi com a tia Lu. 
Essa estreia foi no mesmo dia que peguei o resultado da biópsia e fui para o hospital tentar conversar com o tio Enaldo. Como a gente não tinha comido quase nada o dia todo, na fila pra entrar no cinema a pressão da mamãe caiu e eu quase desmaiei, fiquei muito tonta e a tia Lu foi correndo buscar um sanduíche. Comi rapidinho, mas continuei me sentindo mal e acabamos não assistindo ao filme, estava ficando tarde e eu só queria ir para casa ficar com você e dormir. Na saída do cinema, vimos que o Mauricio de Souza estava lá e aproveitamos para tirar uma foto com ele, que na verdade era o que eu queria desde o início e fiquei assustada com o tamanho dele, acho que ele é mais baixo que eu, acredita? rsrs... 

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

A Volta às Aulas e o Lanchinho

“Meu lanchinho, meu lanchinho
Vou comer, vou comer
Pra ficar fortinho, pra ficar fortinho
E crescer! E crescer!”


A volta às aulas foi no início do mês e o meu filhote acabou de passar para o maternal I. Até o fim do ano passado eu nunca precisei me preocupar com a alimentação dele: o berçário oferecia uma fruta às 8:30h e o almoço às 11:30h, tudo bonitinho. A partir desse ano, no entanto, ele não tem mais o almoço e a merenda é por conta dos responsáveis.
É claro que isso foi uma grande mudança na nossa rotina e exigiu um cuidadoso planejamento. Não sou a mãe mais natureba do mundo, não sou radical com a alimentação do Théo, mas queria fazer bonito na merenda. E apesar de o suco de caixinha, o petit suisse e os biscoitinhos recheados serem os mais fiéis amigos das mamães, preferi investir um tempinho na preparação da merendeira do meu pequeno, deixando esses produtos apenas para situações de emergência.
“Mas Giulia, eu trabalho fora, faço faculdade, preciso arrumar a casa, ir para a academia, preparar o jantar, cuidar do fulaninho... Não tenho tempo de pensar nisso!”

A-HÁ! É pra isso que eu existo! (hihi)

Ao longo dos nossos encontros por aqui vou trazer algumas dicas rápidas, fáceis e saudáveis pra você arrasar e matar a mãe de todos os coleguinhas de inveja! O melhor? Você vai ter tempo de fazer tudo (tem coisa que dá pra fazer até no fim de semana e congelar)! 
Não tem desculpa não, viu? 
Vamos lá?

A lancheira ideal