Mostrando postagens com marcador livros. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador livros. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Outros Jeitos de Usar a Boca

Ser mulher neste país, como em muitos outros lugares do mundo, é travar batalhas diárias por direitos mínimos, por liberdade, por segurança... E nessas lutas tão cotidianas para nós, esbarramos com histórias cruzadas, histórias que se assemelham ou mesmo histórias idênticas que só mudam de endereço, muitas delas são comuns na experiência de traumas que vivemos enquanto ainda éramos crianças. 

É difícil ser mulher! Muitas feridas marcam nossa história de resistência e luta feminina, mas também parte dessa dor cicatriza e vira solo fértil para um belo jardim e, assim, conseguimos transformar tudo que nos roubou de nós em arte com muito de nós. 

E isso é herança, como as que vieram antes de nós nos deixaram um legado, nós também precisamos deixar isso para os que estão nascendo. 

Existem tantos livros interessantes de mulheres, famosas e outras nem tanto, que conseguem partilhar trajetórias brilhantes, de superação, de representatividade, de empoderamento, de conhecimento, de força! 

Faça esse exercício: leia mais escritoras, leia mais o que as mulheres têm para partilhar, leia sobre as grandes mulheres que mudaram a história e com frequência não são lembradas, leia sobre as mulheres da atualidade que enfrentam e ocupam espaços cercados de machistas. Leia mulheres! 

E não tenha medo, mulher, de partilhar sua arte também!

Um livro que conheci e amei (por ser muito impactante) foi outros jeitos de usar a boca.


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Diário da Mãe da Alice


Após a campanha de financiamento coletivo do livro Tony e Nina, começamos uma nova caminhada apoiando um projeto muito lindo, que se chama o “Diário da Mãe da Alice”. Será um livro que contará história de Mariana Rosa e sua filha Alice, que tem paralisia cerebral e Síndrome de West.

Quando nasce um bebê, também nasce uma mãe e um pai. Diversas expectativas e planos povoam os pensamentos dos novos pais. Mas, e quando algo sai do controle? É preciso mudar e traçar novos planos. Esse é o caso da jornalista e escritora Mariana Rosa, mãe da pequena Alice, de 3 anos, que nasceu com 29 semanas de gestação e passou os primeiros 145 dias de vida em uma UTI Neonatal. Das mais diversas situações vivenciadas com Alice, Mariana decidiu contar suas experiências no livro “Diário da Mãe da Alice”. Com objetivo de fomentar o debate sobre as questões relacionadas à maternidade atípica e à valorização da diversidade, uma campanha de financiamento coletivo foi criada na plataforma Catarse para arrecadar fundos para a publicação do livro, com lançamento previsto para dezembro. 

Em razão desse “nascimento prematuro”, Alice desenvolveu paralisia cerebral e Síndrome de West, que pode ser explicada como uma epilepsia de difícil controle. Incerteza, insegurança e medo foram sentimentos comuns a Mariana durante o período que Alice ficou internada no hospital. E essas experiências se transformaram no blog Diário da Mãe da Alice, criado em 2014, que reúne os relatos cotidianos e os aprendizados entre mãe e filha.

A interação entre Mariana e outras famílias logo extrapolou as barreiras do ambiente digital e serviu de alento e apoio para troca de informações. “O intuito do blog não é expor a rotina da Alice, mas sim mostrar as situações que vivemos e que podem ser compartilhadas com outras famílias”, diz Mariana.

Com a publicação do livro, Mariana espera que as crianças e suas famílias possam unir forças na busca por uma vida de qualidade e repleta de significados. Além de livros, os colaboradores da campanha terão direito a recompensas que incluem desde marcador e camiseta até inscrição para participar de um café da manhã com a pediatra Filomena Camilo do Vale, a Dra. Filó, em dezembro. Referência por seu trabalho como médica e também como evangelizadora, Dra. Filó fará um bate-papo com Mariana Rosa e outras 150 mães, em um dos eventos de lançamento do livro.

Empresas também podem contribuir com a campanha e patrocinar as mães sem recursos financeiros, com a doação de livros e inscrições no bate-papo com Mariana Rosa e Dra. Filó. Há diferentes categorias de contribuição, com valores de doação a partir de R$ 35,00. As arrecadações podem ser feitas até o dia 20 de novembro.

MAIS INFORMAÇÕES:
Blog ‘Diário da Mãe da Alice’
http://diariodamaedaalice.wordpress.com
Como ajudar no financiamento coletivo do livro: https://www.catarse.me/diariodamaedaalice

Diário Mãe da Alice - Financiamento Coletivo

Contamos com vocês!


quinta-feira, 21 de abril de 2016

Os Meus, Os Seus, Os Nossos Livros

Sabe aquele tipo de gente que lembra de coisas de quando tinha uns 4-5 anos? Prazer! Eu! Lembro de tantos acontecimentos de quando eu era bem novinha. Lembro com muitos detalhes inclusive. 

Uma das lembranças mais lindas que tenho é de que eu adorava estudar. Sempre fui muito estudiosa e devo uma parte disso a uma tia querida. Por quê? Eu estava no pré e faltava pouco para ler. Nunca fui do tipo de garotinha que esperava as ordens dos pais ou a presença deles para fazer os deveres de casa e estudar. Eu queria aprender a ler e ponto, mas eu não tinha muitos livros em casa. Lembro de uma estante na sala com livros "adultos" em suas prateleiras mais longínquas e eu com inúmeros planos de como pegá-los. 

Um dia uma tia passou a me dar muitos livros. Para mim e minha irmã (03 anos mais velha). Decidi que eu faria a leitura de todos. Eu ainda não sabia ler, mas foi por pouco tempo. Não lembro exatamente quando foi, só sei que era bem pequenina ainda. Um dia descobri que sabia ler. Aproximei dos meus familiares e contei sobre a conquista. Lembro de alguém dizer que eu era muito nova para saber ler e que, simplesmente, eu não sabia. A parte que segue eu lembro como se fosse hoje: corri para o quintal, onde tinha um banco de cimento, subi o mais alto que pude e nas minhas mãos estava um livro, em uma página cinza com um texto de umas 4 linhas sobre uma tal vaca Mumu. Ao fechar os olhos consigo lembrar da ilustração da página. Ali, comecei a ler em voz alta o textinho e logo todos descobriram que eu, realmente, sabia ler.

O tempo que seguiu depois dessa descoberta foi de leituras sem fim. Apaixonei pelas palavras, pelas histórias, pela leitura e pela escrita. Comecei a ler todos os livros que tinha em casa. Como eu era uma faminta por leitura, logo comecei a ler os livros da minha irmã mais velha e, quando eu já alcançava os livros das prateleiras mais altas, os livros dos meus pais. 

Como eu lia! Até hoje, na verdade. Sou do tipo de gente que lê tudo. Tudo mesmo! Embalagens, placas, bulas, instruções de uso, cartazes, frases nos muros... Todas as palavras que estão ao alcance dos meus olhos. É quase um vício de leitura. Isso foi tão importante para a minha vida. Todo o meu sucesso acadêmico e profissional eu devo ao mundo da leitura, que fez daquela garotinha uma pessoa mais crítica. 

Voltemos ao passado! Comecei a ler livros grandes desde muito pequena. Não que eu entendesse tudo que estava escrito entre as linhas, mas sempre fui apaixonada por dicionário também. Era meu livro de cabeceira (só até a 7ª série, quando apaixonei por uma gramática de Ernani Terra que guardo até hoje). Os primeiros livros de muitas páginas que li foram O Mágico de Oz, A Terra dos Meninos Pelados, A Madona das Sete Colinas (lia escondido porque era um daqueles que ficavam nas prateleiras altas da estante, lê-se: livro dos meus pais). Li Sonho de uma Noite de Verão (William Shakespeare) antes dos 10 anos e era perdidamente apaixonada pelos livros de Dostoiévski quando tinha 12-13 anos. Aos 14 já tinha lido Grande Sertão: Veredas (Guimarães Rosa) e Memórias Póstumas de Brás Cubas (Machado de Assis). 

Fui uma adolescente apaixonada pelos livros e claro que tive meus cadernos de textos e poesias. Primeiro vestibular da minha vida: Letras! Fiz alguns períodos, mas decidi mudar de curso, não que eu amasse menos o universo das letras, mas porque descobri que é um hobby e não minha vocação.

Disso tudo eu só sei de uma coisa: sem toda essa relação com os livros eu jamais seria quem sou. 

Umas das primeiras preocupações da minha lista de "ser mãe" não seria outra a não ser incentivar a leitura na vida do meu filho. A vida inteira eu pensei nisso. Sabe o que fiz? Guardei muitos dos livros que ganhei da minha tia para dar aos meus filhos. Muitos livros da minha infância agora ocupam as prateleiras (alcançáveis) do quarto do meu filho. 


terça-feira, 19 de abril de 2016

Como organizar os livros das crianças


Olá mamães!

Vamos organizar os livros por aí?

Aqui em casa como já mostrei neste post aqui , que os livros ficam em dois lugares: num carrinho circulando por toda a casa e em uma das partes do nicho do quarto da Cecília. Sei que farei várias modificações até ela mesma criar o seu próprio espaço, pois um bom livro nunca é demais e por aqui fazemos questão de adquirir sempre que possível novos exemplares.

Nas inspirações que selecionei tem cantinhos, caixotes divertidos, suportes de madeira, acrílico, sacos de tecidos, pedacinhos de estantes com vários brinquedos e paredões de livros, todos com janelas para mundos diversos, livros! Vamos às ideias?

organizando o cantinho dos livros
dica chic

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Aniversário DIY - Livraria


Olá Mamães Sortudas!!! Na semana passada foi aniversário do meu pai! Nunca fiz um aniversário temático para ele e achei uma ótima oportunidade para homenageá-lo com um tema que tem a ver com o seu trabalho. Ele tem uma livraria/sebo há 33 anos e eu quis trazer um pouquinho do universo dele para o aniversário!

No mês passado fiz um curso muito legal de decorações de festas com a Kika Duarte, da Auguri. O curso foi muito bom para enxergar novas possibilidades na decoração de festas e achei muitíssimo interessante praticar os ensinamentos da aula no aniversário do "papis"!

Ao fazer minhas pesquisas na internet e Pinterest verifiquei que este tema não é muito convencional, o que me agradou ainda mais! Sendo assim resolvi compartilhar minhas dicas de como montar um aniversário para quem gosta de livros e livrarias! Um ótimo tema para pessoas formadas em letras também, hein? háháhá!

Ah, e dessa vez disponibilizo mini vídeos para ensinar alguns itens! Espero que gostem! E não se esqueçam de assinar nosso canal no Youtube pois vem muita coisa legal por aí!!! Para assinantes os vídeos chegam na hora do envio! 

Então vamos lá!

1) Parede de fundo: Usei jornal para montar a parede de fundo e ficou muito legal! Usei durex para colar cada folha.