Mostrando postagens com marcador violência contra a mulher. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador violência contra a mulher. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Você terá que manter-se vigilante durante toda sua vida!

Como diria Simone de Beauvoir, nunca esqueça que basta uma crise política, econômica ou religiosa para que os direitos das mulheres sejam questionados. Esses direitos não são permanentes. Você terá que manter-se vigilante durante toda sua vida.

Ah, essa vigilância... Exaustiva e incansável que precisamos manter em uma sociedade que se compadece com o "pai de família" que pratica seu machismo cotidiano em outro país porque a desculpa está no excesso de álcool, enquanto usa a mesma desculpa (do álcool) para culpabilizar mulheres vítimas de assédio.

Vigilância que precisamos manter num país onde milhares de mulheres são assassinadas e violentadas brutalmente por homens ou grupos deles que não são responsabilizados, punidos ou se quer identificados. 

Vigilância que precisamos manter numa sociedade que meninas não podem brincar na rua, porque são raptadas, molestadas e têm a vida encerrada.

Vigilância que precisamos manter num país onde, quando uma mulher tenta falar, explicar suas posições, conhecimentos e propostas é comum a prática de mansplaining e/ou manterrupting

Quem Inova - Catraca Livre

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Jovem. Estudante. Trabalhadora. Mãe. Eu Luto pelo Fim da Cultura do Estupro.


O fim do mês de maio foi marcado, lamentavelmente, pela notícia do estupro coletivo no Rio de Janeiro. O caso ficou conhecido após um grupo de homens filmar e compartilhar nas redes sociais a imagem da jovem violentada. 

Sei que muitas pessoas vão pensar "mais uma postagem sobre o assunto na internet", mas a verdade é que não podemos nos cansar de falar sobre isso. A cultura machista envenena e domina as pessoas sem que elas percebam (ou percebem e o fazem propositalmente). Não podemos deixar de lutar pela nossa integridade, por nossos direitos, por todas as mulheres que sofreram e sofrem violência. Sim! Temos que protestar por direitos, pela dignidade humana. Manifestar nossa revolta contra a violência.

Fonte: Pensamento Sem Nexo