Mostrando postagens com marcador Autismo X Superação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Autismo X Superação. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Livro “A onda azul - azul da cor do mar” - Uma onda de bons sentimentos



Pais de criança autista e escritora vão lançar livro infanto-juvenil que visa ajudar outras famílias a conviver melhor com o autismo.



As ondas do mar levam até a areia várias conchinhas que fazem a alegria de quem gosta de recolhê-las na beira da praia. Assim como as ondas, nós também podemos espalhar, por onde passamos, atitudes e sentimentos bons, como o respeito, o amor, além de levar conhecimento. É essa boa onda que o livro “A onda azul” pretende ser.

A obra foi escrita pela autora Marismar Borém junto com a Maira Alves e o Adriano Machado, que são os pais da Lalá e do Bê, um menino autista. A partir das experiências que vivem com o filho, eles decidiram contar uma história do Bê. “Meu esposo e eu percebemos a necessidade de ajudar os pais dos colegas do nosso filho a entender o autismo e sempre nos preocupamos em mostrar para as pessoas como esse transtorno muda a vida das famílias, mas também as permite vivenciar ricas experiências”, explica Maira Alves, mãe do Bê e coautora do livro.


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Apresentando o mar ao Daniel


São tantas emoções! Tudo começou quando a minha mãe e minha irmã fecharam a viagem pra Maceió! Fiquei meio triste que não iria e elas insistiram que eu e Daniel fôssemos! Teria que pagar somente a cama extra (minha, porque Daniel não pagaria) e as passagens! Entre trancos e barrancos comprei as passagens, consegui dinheiro pra levar e tudo certo!!! 

A insegurança e o medo pairaram sobre minha cabeça. Li que crianças autistas geralmente não gostam de viajar de avião. Tudo seria novo pro Daniel! Aqui em Brasília ele não gosta de areia. O mar é salgado e ficaríamos dentro de um quarto, sem muito lugar para ele ir. Enfim, coloquei nas mãos de Deus e me animei! Meu sonho era levar Daniel pra conhecer o mar!!! 

Quando chegou no aeroporto já fui logo avisando que Daniel era autista e pedi poltronas atrás do avião com o lugar na janela, pois sei que o Daniel adora olhar, observar! E assim foi feito. Daniel não deu NENHUM trabalho! Somente faltando 20 minutos para o avião pousar que ele começou a se estressar porque queria mexer suas perninhas, mas soube controlar a situação e mais uma vez ele superou minhas expectativas! Pegamos o carro alugado e nem pensei mais no quarto do hotel e como ele reagiria quando chegássemos a esse lugar novo. 

Chegamos no hotel ele comeu, tomou seu leite e dormiu! Várias etapas realizadas com sucesso! Chegamos na quinta dia 11 de fevereiro, desse ano! Ele acordou mais cedo do que o previsto porque Maceió não tem horário de verão. Tudo bem! Fomos tomar o café da manhã e ele parecia um homenzinho! Que gracinha! Pegamos o carro e fomos direto para praia e pronto, quanta alegria!!! Daniel AMOU a areia, a água salgada e quente, o vento, as pessoas e o clima !!!! 



Não queria sair da água, por isso fiquei muito queimada do sol! Decidi que nesses dias de praia não colocaria fralda nele, que ele ficaria de sunga. E assim foi durante os 7 dias ! Senti que ele sentiu falta do pai porque pedia seu Tata (papai, como ele diz) e ele sempre se engraçava para alguém! Teve um dia que um senhor ficou com ele no colo por quase 2 horas! Háháhá! Mais uma felicidade! As pessoas que conhecemos na praia foram super carinhosas e receptivas com Daniel. Quando contava de sua vida elas ficavam mais encantadas por ele, diferente do que passo aqui em Brasília. Isso me deu mais segurança na viagem. Daniel curtiu muito a viagem e a cada dia que passava meu coração de transbordava de alegria. Só de olhar pra ele e ver o quanto estava feliz meu cansaço físico passava. Vocês não têm a mínima noção do quanto fiquei realizada com essa viagem! Conversando com minha mãe e minha irmã elas também se surpreenderam com Daniel! 



Ele gostou tanto que até dormir à noite inteira ele estava dormindo! Ele ia embora da praia e mandava tchau e beijo pro mar, parecia uma questão de respeito mesmo com a natureza! Ele achava o máximo as ondas batendo em suas pernas! Adorou a água salgada, quase bebeu o mar inteiro, rs. Até na areia ele brincou! Conversava com todos que aceitavam conversar com ele! Não se importou com assaduras e nem um pequeno corte no pé! Voltou moreno com marquinha de sunga e pedindo "ÁGUA" (assim que ele chama).









No caminho da volta, indo para o aeroporto, passamos perto do mar e pedi a ele que se despedisse, mas expliquei que ele voltaria o mais rápido possível para "saboreá-lo"!! Sendo assim o fez, e partimos para o aeroporto! 

Daniel deu uma crise quando fomos embarcar porque estava muito cansado e todos aqueles estímulos (muito gente na fila, barulho, criança chorando, esperar, sono) estavam o sufocando! Mantive a calma! O peguei no colo e ele dormiu! Embarcamos e aqui estamos de volta à realidade, a nossa vida! 

Queria contar minha experiência porque quero colocar meu ponto de vista. Conheço muitas famílias que escondem seus filhos por serem especiais. Eu não vou fazer isso nunca! Mesmo que Daniel dê trabalho, ele merece conhecer as maravilhas do mundo! Se ele se exaltar falo para o mundo o que ele tem, mas ele gosta de provar dessas maravilhas! Aprendi mais uma vez em não criar expectativas, porque elas são minhas, e não dele! Ele é e tem o direito de ser o que ele quiser! Eu tenho que prepará-lo para o mundo, mas o mundo tem que conhecer o mundo peculiar de Daniel! Não tinha uma pessoa que não se apaixonasse pelo meu filho!!! 


Então em relação a tudo isso queria comentar o ocorrido! Uma mãe teve a página do facebook bloqueada por não aceitar o desafio da maternidade. Cada um sabe sua dor e sabe o que se passa em sua vida. Não julgue uma situação que você não passou porque cada um tem sua vida. Eu fiquei cansada nos primeiros meses, Daniel passou por muitas coisas e foi por isso que aceitei esse desafio, pois ele me ensinou desde quando nasceu várias coisas! A maternidade não é somente aquele primeiro mês da maternidade, e sim a plenitude de ser mãe: são os dias, as horas, meses e anos que seu filho tem ao seu lado! Qualquer âmbito da sua vida vai pesar por altos e baixos, mas é por isso que se chama vida, então vamos refletir antes de julgar! 

Um enorme beijo a todos !!! E até.....

Deborah Gouveia