Mostrando postagens com marcador perda de um filho. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador perda de um filho. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Carta à minha primeira sobrinha...



"Era uma quinta feira, por volta das 16:00 quando seu pai me ligou, com um tom bem sério ele me disse: Sua irmã perdeu o bebê!
Aquela frase entrou em meus ouvidos, roubou minha fala, meu fôlego, e encheu meus olhos de lágrimas...
Cogitei não ser verdade, mas com uma coisa dessas não se brinca!
Um turbilhão de sentimentos e de questionamentos... Coube a mim e a seu tio Arthur a difícil missão de contar também para a sua avó e para sua bisavó!
Sua mãe veio para casa, recarregar as energias com a gente... com o aconchego da família... choramos, conversamos e por fim até rimos de algumas coisas! 
Desde o dia que soubemos que você viria ao mundo, você foi muito festejada... a Titia já te amava tanto quanto os meus!

Me segurei diversas vezes para não comprar milhões de laços e vestidos... sua mãe, comedida como sempre me "podava" várias vezes!
Já imaginava você com seus cachinhos lindos, passeando com a gente, dormindo na minha casa, e sendo mimada pela Lara... Theo com aquela paz e aquele sorrisinho te olhando admirado! 

Imaginei sua vó, feliz com seus três netos... a casa dela cheia... e a Bisa colecionando mais uma bisnetinha!

Mas não quero lamentar o que não vivemos, quero agradecer você por tudo que você nos proporcionou! 
Me mostrou que ainda tem amor dentro de mim para um serzinho que eu nem conheci, me mostrou que na vida não somos nós que escolhemos, é Deus! 
E se ele quis assim tem um propósito e a nós cabe aceitar!

Você reafirmou o que eu já sabia... que a sua mãe e seu pai são muito fortes... e tenho certeza que com você aprenderam a serem ainda mais! 
Eu sempre tive admiração por eles!
Mas era chegado o momento, você cumpriu sua missão aqui pequena, e na sexta feira, no fim do dia, a sua mamãe te viu... te conheceu... chorou... imagino que se despediu, mas encerrou!
Segundo as palavras do seu pai, você era perfeita! 
Naquele momento tive muita vontade de sair correndo para o hospital para te conhecer, te ver, procurar semelhanças... Mas não! Não fui! 
Prefiro te imaginar assim, como seu pai descreveu, perfeita!
Sei que você é muito pequenininha, mas mesmo assim quero lhe pedir um favor: Cuide da sua mãe de onde você estiver... mostre para ela que o sonho não acabou, mas está só começando... que ela sempre terá um anjo no céu olhando por ela! 
A faça forte! Guie seu pai! Seja uma luz na vida deles... seja aprendizado... 
Cecilia, seria seu nome... Nome de Santa, que pra mim agora é nome de Anjo!"

Titia te ama muito!
Desde sempre!