quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Carta para Rafael - Viver e não ter a vergonha de ser feliz.

Boa tarde meu amor, a vida é muito engraçada e algumas coisas, por pior que pareçam ser, fazem a gente refletir. 

Muitas coisas na vida fazem parte da nossa rotina e a gente faz totalmente no automático. Desde que você nasceu e a mamãe recebeu o diagnóstico de câncer de mama, só tenho saído de casa para ir em algum médico ou quimioterapia, te levar na pediatra, ir a missa, ao centro espirita e em Sabará fazer tratamento espiritual com o Dr. Fritz.

Outro dia o papai ia trabalhar no final de semana e não ia conseguir levar a Arya - sua irmã peluda - para tomar banho e eu levei. 

Acordei cedo no sábado, tomei banho, arrumei a sobrancelha que está bem falhada, passei um protetor solar (coisas que eu nunca fiz antes), peguei a Arya e saí, um pouco na dúvida se ainda sabia dirigir, rsrsrs.
Entrei no carro e o rádio ligou automático na rádio CDL e estava tocando "Café com Rock". Oi?! Aaaamo Rock!!! Que delíciaaaaa! Já estou enlouquecida, cantando e emocionada indo levar a cachorra pra tomar banho! Eu fazia isso todo sábado, qual a novidade? Porque tanta emoção? Estou viva! VIVAAAA! Isso é muito bom! 




Parei em um sinal e tinha um rapaz distribuindo alguns papeizinhos e jogou um dentro do carro, que caiu no banco do passageiro.
Pensei: "Deve ser santinho de algum candidato..." e deixei no mesmo lugar. 

Cheguei ao Pet e entreguei a Arya para a tia Cíntia, que não percebeu que eu estava emocionada, conversamos bastante e rimos muito igual todos os nossos encontros. 

Voltei escutando samba na Liberdade FM e cantei igual na ida, porque também adoro samba. 

Na garagem, peguei a Arya e saí do carro. Na hora de trancar, usei a chave ao invés do controle e vi o papelzinho no banco... voltei para pegar e para minha surpresa tinha de um lado a imagem de Jesus Cristo e do outro os dizeres: 

Caminha 
"Caminha um pouco ao ar livre. 
Tranqüilamente, redescobriras a natureza que te abençoa a vida. 
Espairece, saindo desse turbilhão em que te encontras e deixa a imaginação voar. 
Evita os lugares movimentados para o teu passeio e aspira o oxigênio balsâmico da floresta, da montanha, do mar... 
Refaze conceitos, acalma-te e abençoa a vida na forma como te apresente.
A tua existência é rica do que necessitas para ser feliz!" (Divaldo Franco - Joana de Ângeles) 


Foi impossível não chorar e na hora me lembrei da música "O que é o que é" do Gonzaguinha: 

"Viver e não ter a vergonha de ser feliz
Cantar e cantar e cantar 
A beleza de ser um eterno aprendiz,

Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei!
Que a vida devia ser bem melhor e será,
Mas isso não impede 
que eu repita:
É bonita, é bonita e é bonita!

E a vida
E a vida o que é 
Diga lá, meu irmão?
Ela é a batida de um coração?
Ela é uma doce ilusão?
Êh Ôh!

Mas e a vida? 
Ela é maravilha ou é sofrimento?
Ela é alegria ou lamento?
O que é? O que é? 
Meu irmão.

Há quem fale 
Que a vida da gente
É um nada no mundo,
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo

Há quem fale 
Que é um divino 
Mistério profundo,
É o sopro do criador 
Numa atitude repleta de amor... 

...

... Somos nós que fazemos a vida
Como der, ou puder, ou quiser.

Sempre desejada. 
Por mais que esteja errada,
Ninguém quer a morte, 
Só saúde e sorte

E a pergunta roda, 
E a cabeça agita.
Eu fico com a pureza 
Das respostas das crianças:
É a vida! É bonita e é bonita!
É a vida! É bonita e é bonita!"




_

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada!
Volte sempre!