quarta-feira, 26 de julho de 2017

Casamento de contos de fadas existe?


Sabe esses filmes nos quais as pessoas se casam e sobe o letreiro "e viveram felizes para sempre"? Balela, lero lero, história pra boi dormir.
O casamento não é o fim da história. Bem, pode até ser o fim de uma história, mas também não deixa de ser o início de outra história!
Dia 26/07/14 minha “outra história” começou. Era o começo da minha própria família... Como fazer isso dar certo???

foto de casamento
Meu começo

As pessoas falam em "juntar as escovas de dentes" como se fosse algo simples. Mas esquecem que um vai apertar o creme dental no meio e o outro gosta que seja apertado na ponta; um vai querer que o papel higiênico saia por cima e o outro vai querer que saia por baixo do rolo; um vai querer as facas e garfos com a ponta pra baixo no escorredor e o outro não vai se importar; um vai roubar as cobertas e o outro sentirá frio de madrugada...
Gente, não é fácil! E como fazer dar certo? Os dois têm que ceder!!!

Você morava com sua família, amigos... Achava fácil o relacionamento com eles? Então porque com o marido tem que ser simples?
Eu, por exemplo, fiquei um tempo sem conversar com minha irmã. Agora que casei e saí de casa, nos damos muito bem e fico com muita saudade dela. Nós tínhamos os mesmos costumes, fomos criadas pelo mesmo pai e pela mesma mãe, morávamos na mesma casa desde sempre, dormíamos em um quarto ao lado do outro, estudamos nas mesmas escolas e tínhamos nossas diferenças. Agora, imagina marido/companheiro? 

cerimônia de casamento
Cerimônia religiosa
 Vira e mexe brinco com o maridão, na frente da mãe dele, "sua mãe te deu educação não?". Ela brinca dizendo que deu, mas ele que não aprendeu. Mas na realidade é que muita coisa é diferente. Criação diferente, cultura diferente, educação diferente... E isso vem dos antepassados, mesclando a cada família que se une, eliminando alguns costumes e ficando os que acham melhor manter.
Eu mesma já aprendi tanto com a família do meu marido! Eles têm vários costumes que eu acho o máximo e sei que minha família terá, mas também tem costumes que eu não quero carregar. Assim como minha família tem costumes que não quero perder e outros que preciso perder (rsrsrs). Por isso os dois têm que ceder. Os dois devem aprender a conviver juntos, abandonando certos costumes e adquirindo novos, mas, acima de tudo, respeitando um ao outro.

Foto de casamento
Solar do Engenho - Sete Lagoas/MG
Ser casado, é como entrar em um barco. Você entra em um "mesmo lugar" (ponto de partida) com pessoas diferentes, com vidas diferentes, com costumes diferentes e tem que chegar a um mesmo lugar (destino  final). Se é fácil? Jamais. Olha esses milhões de reality shows que existem por aí, nos quais muita gente desiste logo no início. A convivência nunca é simples, as pessoas não são simples de se entender ou lidar, então se você quer chegar ao destino final, tem que se esforçar bastante para conseguir.

Assim como o barco enfrenta as ondas, chuva, sol... o casamento também tem o "bom tempo" e o "mau tempo". Muitas vezes, passamos longos períodos em "mau tempo", mas com o passar do tempo e as ações corretas, o "bom tempo" pode chegar e permanecer.
Pode ser complicado, mas o principal de tudo é não guardar mágoas. Às vezes uma pessoa está bem e a outra está com o coração negro de tantas mágoas guardadas ao longo da viagem, que os dois não poderão entrar em harmonia.
Outra coisa muito importante é se colocar no lugar do outro. Podemos ferir muito mais com palavras do que se você bater na pessoa. Por mais nervoso que esteja, antes de falar algo, pense como você receberia o que vai dizer, o quão magoado, machucado ficaria e se controle. Não consegue se controlar? Tome um tempo, relaxe, pense e repense e converse depois. 

solar do engenho
Saudade deste dia...
Por mais que as pessoas estejam todas juntas no barco, todas elas têm momentos de individualidade, momentos em que ficam sozinhos. No casamento é a mesma coisa. Às vezes a pessoa precisa de um tempo só para ela, independente se for "bom tempo" ou "mau tempo". Pode ser melhor ficar fora fisicamente por um tempo e voltar inteiro do que ficar ausente espiritualmente (estar no lugar e não estar).
Meu marido luta. Vai para a academia, treina, passa um tempo com os amigos... E isso faz bem pra ele. Eu preciso desesperadamente arrumar um tempo para fazer algo por mim, para mim, um tempo só meu. A Thaísa (@entreorosaeoazul) escreveu dois textos bem legais sobre isso: "Deixe seu marido jogar bola!"e"Deixe sua esposa sair sozinha!".

E quando vem os filhos? Como fica essa história? Casamento envolve muita coisa e quando os filhos aparecem, complica ainda mais. A Larissa (@laladoben) escreveu um texto sensacional sobre isso: "Casamento com a chegada dos filhos : 14 coisas que ninguém te contou".

treino em família
Ter alguma atividade em comum também é bom!

Quando tiver dúvidas, pergunte-se: 
1: Porque se casou? 
Faça uma lista (pode ser mental mesmo) de tudo que te encantava no cônjuge. O motivo ainda está lá? 

2: O que te motiva a desistir do casamento?
Faça uma lista (pode ser mental mesmo) de tudo que te desanima. 
Porque você ainda convive com isso? É algo contornável? Dá para viver bem com estes defeitos?

3: O que é mais forte: motivos para desistir ou para continuar?


Thiago me faz raiva? Muita. Levanta a mão quem tem vontade de esganar o marido todos os dias. Todo mundo levantou a mão, não é?! Mas não é porque não os amamos, é porque é tudo diferente. Nós nos preocupamos com algo, queremos que eles ajam de certa forma e eles fazem tudo diferente. Não por maldade, mas eles pensam diferente. Temos que aprender a lidar com isso e pensar no que importa. 

1: Porque me casei? Porque o Thiago faz de mim uma pessoa melhor. Ele pensa mais nos outros no que em si mesmo (ás vezes isso também é um defeito, mas vamos focar no lado positivo); com ele aprendi a dividir (mesmo tendo família grande): se ele ganha um bombom no trabalho, ele leva para casa e divide comigo (agora divide por três, rsrsrs); sei que posso confiar nele para tudo; ele jamais me trairia (sim, coloco a mão no fogo por ele. A consciência dele não permitiria que ele fizesse algo assim); ele me apoia em todos meus projetos e loucuras; ele sempre está lá por mim, está sempre do meu lado quando preciso; quem mais faria deliciosos cappuccinos, mocaccinos... (nossos amigos vão entender bem isso).

2: Porque desistir? Thiago é mandão e exigente (ele é muito pior do que mulher nisso); Odeio quando ele reclama (todos os dias) que estou andando "igual barata tonta" pelo apartamento, quando poderia estar arrumando a cozinha (por exemplo), mas ele não consegue ver que estou colocando as coisas no lugar (e ele não admite que grande parte da bagunça é por culpa dele); Palavrões! Ontem mesmo saiu berrando uns palavrões pela casa quando doce de leite caiu no pé dele. Desnecessário e me tira do sério; Ele ir para a academia todos os dias à noite me faz sentir sozinha. Mas, com paciência, é possível conviver com tudo isso sim.

3: Os motivos para desistir são mais fortes do que os motivos para continuar? Não. De jeito nenhum. Ele é uma pessoa de coração maravilhoso e os defeitos apontados não mudam isso (que é o que mais admiro nele). Portanto, continuo apostando no nosso casamento.


fotos pós casamento
Ensaio pós casamento

No seu caso não vale a pena continuar? Então, pula fora!
Divórcio nunca é fácil, nem legalmente e nem psicologicamente. Sem contar os termos financeiros. Mas ninguém merece estar em um relacionamento sem ser feliz, em um relacionamento sem companheirismo, amizade, cumplicidade e principalmente, investindo no casamento sozinho. Se a outra pessoa insiste em não investir no casamento, não tem jeito mesmo. Não se culpe. Não deu certo? A culpa não é apenas sua, afinal, o casamento é a dois!!! Não se desgaste mais por isso, pense em você, em sua felicidade e  na dos seus filhos (quando houver)!


Beijo grande!
@minhas24horas

_

Um comentário:

  1. Amiga, está de parabéns... estou amando seus depoimentos. Continue escrevendo.

    ResponderExcluir

Obrigada!
Volte sempre!