sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Seja a mudança que você deseja!



Não sei bem qual título dar a este post pois são tantas coisas a falar que caberiam muitos títulos aqui. Até o final do texto já devo ter pensado em algo! Bem, o ano novo chegou e com certeza este ano terá um gosto especial! Antes de mais nada quero contar um pouco sobre minha vida... 

Em 2004 comecei a trabalhar no serviço público do estado de Minas Gerais, na área de saúde, e ontem foi o meu último dia, e por livre e espontânea decisão. De lá para cá muitas coisas aconteceram: me formei em Ciências Contábeis, desenvolvi muitos projetos lindos para melhorar nosso Sistema de Único de Saúde - SUS, me tornei pesquisadora, fui uma das pessoas que fez acontecer o primeiro Sistema de Custos para hospitais públicos e que é referência nacional, recebemos prêmios e menção honrosa, viajei pelo Brasil para apresentar trabalhos, me tornei Mestre em Administração - linha de Finanças - pela UFMG e trabalhei muito, muito mesmo! Passei noites em claro pensando no trabalho, sonhava com soluções, estudei, estudei...estudei! 

Acredito que nada acontece por acaso, que cada encontro há uma razão para acontecer e que Deus, aquele bonito, sabe de tudo! Conheci pessoas maravilhosas e iluminadas nestes 11 anos de serviço público! Juntamente ao trabalho vieram outras coisas boas: um dos desenvolvedores do tal Sistema de Custos chegou pra sacudir minha vida e rapidinho foi adicionada a função: namorado + casamento + filha + muita alegria! Eita coisa boa! 

Fotografia: Renata Andrade



Casamos e logo encomendamos nossa Marina! No Estado temos direito aos 6 meses de licença maternidade. Haviam férias para tirar e ao todo fiquei com a Nina por 8 meses. Parecia que não ia acabar, mas acabou. No dia de retornar ao trabalho, aquele vazio inexplicável. Acho que somente mães irão entender este sentimento. Acredito que para aquelas que ficam menos tempo de licença deva ser ainda mais difícil.


Fotografia: Áquila Louback

Uma semana antes de retornar ao trabalho começamos a adaptação em uma escolinha. Nos dois primeiros dias ela chorava lá dentro e eu lá fora. No terceiro dia pediram para eu dar uma voltinha de 3 horas: que sensação estranha. Fui ao shopping somente com o cartão de créditos e celular no bolso. O tempo não passava. A gente acostuma tanto a andar "de duplinha"!. No quarto dia ela ficou 6 horas: fui para casa, arrumei a casa, cozinhei com tranquilidade e o tempo sobrou de novo, mas enfim, me senti um pouco mais segura ao chegar para buscá-la e ver uma carinha alegre.

Ao retornar ao trabalho o tal vazio... Levei fotos, um brinquedinho dentro na bolsa, o cheirinho dela na memória e um coração apertado com vontade de chorar a cada pergunta "Você está de volta!!! Você está bem?". A coisa boa que tenho para contar é que sensação foi diminuindo. Me falaram que diminuiria e eu não acreditei. Mas é verdade! Háháhá! 

Começaram novos desafios: sair muito cedo de casa e chegar tarde. Ficar com a Nina a noite em casa por apenas 1 1/2 hora. Continuei amamentando pela manhã e pela noite e com 10 meses de idade ela já não quis mais mamar (só morder) e o leite secou. Chegava na escolinha e ela estava sempre no carrinho com o olhar perdido e quando me via fazia uma festa de encher os olhos de lágrimas. Ela adoeceu muito nessa escolinha. E em meu trabalho não há liberação para as mães quando o filho está de atestado. Passamos aperto por aqui...

Para minha felicidade aos 11 meses da Nina surgiu a vaga na escolinha do meu próprio trabalho. Nunca vi professoras tão amáveis e lindas! O trabalho pedagógico delas é muito legal!!! Sempre serei grata pelo carinho que tiveram com a minha pequenininha! Chegava na escolinha e ela estava interagindo com outras crianças, cantando, fazendo atividades físicas, brincando... Sem contar as festinhas da família, dia das vovós e por aí vai. É muito bom deixar nossos filhos em uma escola que nos sentimos seguras, amparadas e que as professoras compartilham as conquistas diárias dos nossos filhos como se fossem filhos delas! 


Aqui em casa temos algumas rotinas: chegamos e brincamos com a Nina até ela dormir. O tempo é dela! É muito rápido pois ela chega já bem cansada da escolinha. Após isso normalmente fazemos algo para comer e trabalhamos com nossos projetos ... e na maioria das vezes isso se estende até a madrugada. Em breve quero contar um pouco sobre nossa vida de blogueiras!

Fotografia: Dione Lopes

Desde que casei até hoje muitas coisas aconteceram: criei o www.noivasortuda.com, logo após engravidarmos eu e a Aline criamos o www.mamaesortuda.com, comecei a me sentir diferente em relação ao mundo e as possibilidades. A vida que levo hoje já não se encaixa mais em um modelo que desejo. Não quero passar apenas 1 1/2 hora com minha filha acordada por dia, desejo que ela fique na escolinha apenas meio período, desejo investir minha super energia em meus projetos, almejo um modelo de trabalho diferente - que é o que temos construído com o Mamãe Sortuda, não quero trabalhar até 2 da manhã, quero fazer atividades físicas e quero me orgulhar de daqui alguns anos ter tomado essa decisão! 

E não foi uma decisão fácil. Foi preciso pensar com calma, enfrentar preconceitos e comentários pesados: "Não se joga serviço público no lixo", "Você vai se arrepender disso", "O que você ganha tendo um blog?", "Como você vai conseguir algum dinheiro com blog?", "Nessa crise você vai sair do serviço público???? Você é louca!". Estar no serviço público e ter estabilidade não compra felicidade. A felicidade para cada pessoa terá um sentido e um valor único. Não estou jogando o serviço público no lixo, pelo contrário, tenho muito orgulho de ter feito a diferença nele, de não ter sido uma pessoa que a sociedade julgasse como o "servidor público" no sentido pejorativo. Estou saindo com a ficha limpa e com contribuições muito lindas para o nosso SUS! Mais uma, o mundo está mudando e as relações econômicas também (já ouviu falar de wikonomia?). Quantos milhões de negócios diários são realizados pela internet atualmente? E para finalizar temos a opção de mudar sempre, de tentar novos negócios, de fazer novos concursos, de estudar coisas novas, de colocar em prática diferentes maneiras de se viver... 

Enfim, ontem foi meu último dia no trabalho antigo e hoje é o primeiro de dedicação exclusiva ao Mamãe Sortuda! Logo no mês em que completamos um ano de blog! A maternidade e este trabalho que desenvolvo com o blog transformou minha maneira de enxergar a vida!

Estamos com projetos muito legais para o Mamãe Sortuda para este ano!  Em breve vocês irão acompanhar por aqui as muitas novidades que estamos preparando!

Para 2016 quero lhe desejar coragem para seguir seus sonhos, coragem para mudar o que não está lhe fazendo feliz e coragem para acreditar no quanto você é capaz! Quero desejar um ano de muita família, amor, saúde, paz e alegria! E no final de 2016 vamos fazer um balanço muito positivo juntas!

Ao final deste post uma frase para resumir e intitular nosso primeiro escrito de 2016:
 Seja a mudança que você deseja!

Mil beijos,
Feliz Ano Novo!!!!!!!!

Heloisa Drumond


_

6 comentários:

Postar um comentário

Obrigada!
Volte sempre!